24/06/2018

Broken Frame: Capítulo 45 • Rediscovering




DIA SEGUINTE
DENVER, 10:25 A.M 

          Demetria acordou graças ao toque do telefone, ela esticou o braço e retirou o aparelho do gancho antes que Joseph acordasse também.

— Alô. — Ela disse sonolenta e piscou os olhos devagar tentando focalizar o teto.
— Bom dia, Sra. Carpenter. — Era alguém da recepção do hotel, Demi reconheceu a voz. — Desculpe incomoda-la tão cedo, mas o Sr. Beckham está aqui e deseja vê-la. — Ela sentou-se na cama, ficou pensativa por alguns instantes e suspirou.
— Peça para que ele suba, estarei esperando.
— Tudo bem, obrigada.
— Eu que agradeço. — Demi colocou o telefone de volta no gancho, olhou para Joe por alguns instantes e se levantou. Ela foi até o banheiro, jogou uma água no rosto, escovou os dentes e prendeu os cabelos que estavam levemente bagunçados. No caminho até a porta, Demetria vestiu o robe de seda lilás que combinava perfeitamente com sua camisola e saiu para esperar David.

— Ah, você já está ai. — Ele sorriu largamente, mas Demi permaneceu séria. — Tudo bem? Espero não te causado nenhum problema ontem.
— Felizmente não causou e isso deve te chatear bastante. — Demi cruzou os braços e o encarrou. — Como pôde me fazer de idiota esse tempo todo?
— Espera um pouco, eu não estou...

— Ah, cala essa boca! — Ele arregalou os olhos. — Achou mesmo que conseguiria me enganar por tanto tempo? Sua esposa é minha estilista, querido. Ia acabar descobrindo dr qualquer jeito!
— Nunca foi minha...

— Não me interessa e realmente não quero mais ouvir uma única palavra dessa sua boca suja! O que você tentou fazer comigo e as coisas que andou fazendo, provam exatamente o tipo de canalha que você é. — Demi apontou o dedo na cara dele. — Cara, você mexeu com a mulher errada! Juro por Deus que se me procurar de novo, eu mesma dou uns tapas nessa sua cara.
— Acha mesmo que essa brincadeirinha de honestidade vai dar em alguma coisa? Você e Joseph são uma piada! Você entrega seu  passado numa bandeja, espera que ele aceite que foi uma vadia drogada e tudo bem? Ele aceita isso, pois os motivos que te levaram ao fundo do poço foi o fato dele não estar lá para te salvar. Quando tudo isso acabar, como acha que vai ser? Como acha que vai ser quando não restar nada para entregar? Você não deveria ter que entregar nada, todos tem segredos. — Demi riu de forma debochada.
— Você não sabe de nada sobre minha vida, então não pense que pode me atingir usando meu passado. Meu marido pode até não ser perfeito, mas ele me ama pela pessoa que eu sou! E você, quem te ama? Será que alguém ainda ama você depois de tudo? Sua esposa e seus filhos não estarão lá para sempre, David. Uma hora ou outra, ela vai se cansar de ser trouxa e vai embora. Seus filhos nunca vão te perdoar por trocar a mãe deles por qualquer uma! Será que esse seu esforço para conseguir mais uma amante é válido, mesmo você sabendo que vai perder o amor deles? — Ele não rebateu as palavras e Demi não viu mais motivos para ficar ali.

— Você não teria descoberto se não fosse por ele.
— O meu recado já está dado e espero que tenha entendido. Não quero que me procure mais! — Ele revirou os olhos e saiu pisando forte. Demi o observou ir embora e suspirou aliviada quando as portas do elevador finalmente se fecharam. Aquele problema estava resolvido!

          Joseph estava sentado na cama quando Demetria adentrou novamente no quarto, ele sorriu e ela retribuiu igualmente sorrindo.

— Bom dia dorminhoco. — Ela inclinou-se e beijou uma das bochechas dele. — Dormiu bem?
— Bom dia. — Ele puxou Demi para seu colo e ficou abraçadinho com ela. — Dormi bem e você?
— Perfeitamente bem! — Joe riu baixo.
— Estou feliz que esteja aqui.

— Onde estava? — Demi acariciou a bochecha dele com seu polegar e olhou nos olhos dele.
— Expulsando David da nossa porta e da nossa vida.
— Estou orgulhoso! — Joseph sorriu. — Confesso que minha vontade de sair foi grande, mas me segurei e fiquei apenas ouvindo.
— Estava ouvindo atrás da porta?
— Só um pouquinho. — Ele fez uma careta e Demi riu lhe dando um tapa. — Ei! Eu confio em você e nas suas decisões.
— É bom saber disso. — Demi sorriu. — Me faz acreditar que nossa noite hoje vai ser bastante divertida!

— E o que vamos fazer?
— Algo que nunca fizemos antes. — Joe fez uma careta pensativa, mas nada disse e ela revirou os olhos fazendo-o rir. — Vamos ao jogo dos Lakers!
— DOS LAKERS?! — Ele praticamente gritou pela animação e Demi riu saindo da cama para mostrar os ingressos.
— Você já assistiu aos jogos com seus irmãos, amigos, mas comigo vai ser a primeira vez. — Joe riu, aquilo era verdade.
— Pensei que jogos não fosse muito sua praia.
— Eu sou uma leiga no assunto, então acho bom você me explicar tudo direitinho. — Demetria balançou os ingressos enquanto caminhava na direção dele. Joseph assentiu sorrindo e abraçou Demi pela cintura, ela riu bagunçando seus cabelos.
— Vamos curtir bastante! Obrigado. — Ele se levantou- beijou-lhe a testa e caminhou em direção ao banheiro.

          Demi esperou até o ouvir o barulho da porta se fechando, pegou o celular e procurou pelo número da Dra. Benson em sua agenda. Assim que achou, ligou e esperou pacientemente até que ela atendesse.

— Demetria Carpenter. Quanto tempo? — O tom de voz animado fez com que ela risse.
— Ashley. — Ela respondeu no mesmo tom. — Muito tempo! Me desculpe por estar ligando assim, mas queria saber se pode me atender na semana que vem.
— Preciso verificar, se puder aguardar um instante... — Demi ouviu o barulho das teclas e imaginou que ela estivesse mexendo no computador. — Tenho horários disponíveis. É para aplicação do anticoncepcional? Já deveria ter imaginado que me ligaria, mas você está em turnê e pensei...
— Eu não vou tomar anticoncepcional esse mês, na verdade estou pensando em ter um bebê. — Ela disse baixo. — Preciso saber se está tudo O.K já que faz um tempinho desde os últimos exames que fiz.
— Que noticia maravilhosa! — Ashley sorriu. — Qual dia é melhor?
— Ainda preciso decidir isso, mas até lá eu te ligo.
— O.k., estarei aguardando sua ligação.
— Eu que agradeço. Tenha um bom dia!
— Você também, Demi. Até mais! — Ela desligou e Demi colocou o celular no criado mudo.

— Querida, quem era no telefone? — Joseph perguntou assim que apareceu no quarto outra vez.
— Kelsey, ela queria onde estava ontem que não atendi os telefonemas dela. — Ambos riram baixinho.
— Certo. — Ele sorriu. — O que acha de descermos e tomar café?
— Acho uma ótima ideia. — Demi aproximou-se e lhe deu um selinho. — Vou me trocar.

L.A
REPUBLIC RECORDS, 01:30 P.M

          Nicholas estava reunido no salão da gravadora, todos os colaboradores do álbum, sua equipe e os amigos estavam lá. O grande dia finalmente havia chegado! Nick estava feliz, depois de tanto escrever novas músicas e reescrever algumas com Joseph, ele sentia que finalmente havia encontrado seu caminho.

— Um minuto da atenção de vocês, por favor. — Ele pediu e logo todos prestavam atenção nele. — Gostaria de agradecer imensamente o apoio de todos, principalmente aqueles que colaboraram comigo nesse novo álbum. O "Last Year Was Complicated" foi realmente complicado! — Nick riu e algumas pessoas também. — Nós que trabalhamos com música entendemos o quanto elas são pessoais, pois contam histórias que por vezes são dolorosas e precisam ser superadas. Com o lançamento desse álbum sinto que superei uma fase difícil e estou pronto para uma nova etapa! Por isso agradeço por estarem aqui me apoiando, tudo isso não seria possível sem vocês.  —Nicholas sorriu. — Muito obrigado! — Ele ergueu sua taça de champanhe e todos fizeram o mesmo. Assim que Nick desceu do palco onde fez seu agradecimento, Selena apontou o celular na direção dele e disse:

— Sorria! — Ele estava ao lado do cartaz do álbum e sorriu largamente para ela. — Você está uma graça, veja só. — Selena riu e mostrou a foto para ele. Nick aproximou-se mais da esposa, ele ainda sorria e inclinou-se para beija-la. — Belo discurso. — Ela disse após o beijo.
— Obrigado. — Nick bebericou o champanhe e sorriu. — Eu estou muito feliz com o lançamento do álbum, mas ainda estou acertando os detalhes da divulgação.
— Amor, nós já conversamos sobre isso. — Ambos atravessaram o salão, cumprimentaram alguns e sorriram educadamente para outras. O local estava repleto de pessoas, inclusive representantes da imprensa escolhidos pelo próprio Nicholas. — Você pode viajar tranquilamente, eu vou ficar bem aqui. — Ela disse assim que conseguiram sair do salão. Não havia movimentação no corredor, então seria mais tranquilo conversar lá.

— Nós passamos por muita coisa, mas ainda sinto que não devo deixa-la sozinha.
— Eu não estou sozinha. Posso ficar com minha mãe, visitar seus pais e passar um tempo com Iggy, ela está mesmo precisando de ajuda com os preparativos do casamento! — Selena sorriu. — Amor, nós já superamos isso. Certo?
— Sim, nós superamos. — Nick sorriu. — Me desculpe por fazer essa cena toda. — Ele abraçou Selena e ela lhe afagou as costas.
— Tudo bem, eu entendo... realmente entendo.

— Nick? — John apareceu e sorriu sem graça por interromper o casal. — Me desculpe atrapalhar vocês, mas tem algumas pessoas lá dentro procurando por você.
— Pode ir, querido. — Selena sorriu. — Eu vou ficar aqui só mais um pouquinho e já vou. O.k.? — Ele assentiu e lhe deu um selinho antes de voltar com John.

          Selena encostou-se na parede, fechou os olhos e suspirou. Os meses se passaram mais rápido do que ela havia imaginado e lá estava ela, possivelmente grávida. Era uma possibilidade, estava dois meses atrasada, mas ainda era muito para assimilar! Não quis tocar no assunto e encher o marido com falsas esperanças. O teste já estava marcado, bastava ela ir até lá em alguns dias e saberia se suas suspeitas estavam ou não certas.

— Ai está você! — Iggy sorriu para ela. — O que faz aqui sozinha? Não me diga que ficou chapada com o champanhe.
— Eu não bebi. — Selena respondeu ainda imersa em pensamentos e colocou uma mexa de cabelo atrás da orelha.
— Não? — A loira franziu o cenho, observou Selena por alguns instantes e ligou os pontos. — AI MEU DEUS!

— Fica calma, não é nada... — Ela tocou um dos ombros da amiga e sorriu. — Pelo menos ainda não sei se é.
— Como você ainda não sabe?
— Ainda não fiz o exame. — Selena disse baixo.
— Imagino que Nick não saiba.
— Sim, ele não sabe. — Iggy encarrou Selena e ela suspirou. — E se não for nada? Não posso dar falsas esperanças.

— Tudo bem, mas e se você estiver mesmo grávida?
— Ah, isso seria maravilhoso. — Selena sorriu. — Caso eu esteja, vou contar imediatamente. Eu prometo! — Iggy assentiu e abraçou Selena.
— Espero que corra tudo bem, amiga.
— Eu também.

          A porta do salão se abriu e elas se separaram para ver quem era, Sabrina sorriu para as duas.

— Atrapalho? — Ela perguntou.
— Claro que não, querida. — Iggy sorriu. — Tudo bem?
— Estou bem.
— E sua mãe, tem dado noticias? — Selena perguntou.
— Ela ligou agora pouco. — Sabrina riu baixinho. — Hoje ela e papai vão ao jogo dos Lakers. Ele está super animado!

— Falando em Joseph... o aniversário dele está chegando, né?
— Foi sobre isso que vim falar. — Sabrina sorriu animada. — Não sei se vovó comentou, mas vamos fazer uma festinha surpresa lá em casa.
— Nada de festa de arromba? Que coisa mais sem graça. — Iggy resmungou e elas riram.
— Mamãe está viajando, então ele não se animou tanto para fazer algo "grandioso".
— Demi não vem?
— Isso depende muito do lugar onde ela vai estar, então ainda não sei.

— Nós vamos, Nick só viaja no final do mês. — Selena sorriu.
— Eu e Garbo vamos, vou me certificar de comprar uma cadeira de balanço para dar de presente ao seu pai.
— Iggy!
— Como assim não vai ter uma festa? Espero que Demi não resolva injustiçar o aniversário dela também.
— Ela vai estar em Portland.
— Guarde sua sede de festas para sua despedida de solteira. — Selena piscou e Iggy sorriu maliciosamente.

— Ei, vocês estão ai! — Nicholas disse apoiando-se na porta do salão. — Venham, vamos tirar uma foto em família. — Ele sorriu. — O que estão aprontando?
— É sobre o aniversário do papai. — Sabrina sorriu.  — Vamos? — Ela voltou-se para as tias e ambas assentiram.
— Vamos. — Elas concordaram e adentraram outra vez no salão acompanhadas por Nicholas.

****

          A tarde passou devagar para Joseph e Demetria, eles aproveitaram cada segundo dela juntos. Conversaram sobre o trabalho, os filhos e também fizeram amor. A ideia de gerar uma nova vida, um filho, tomou ainda mais o coração de Demi e ela precisou conter-se para não falar sobre aquilo com ele! Lembrar-se do modo como ele confessou querer uma família grande e o apoio das crianças fez com que ela sorrisse boba enquanto se arrumava.

          A ideia de ir ao jogo não foi uma das primeiras, ela precisou pensar e repensar muito se queria algo tão "público", mas não era certo se privar de um passeio por causa de certas inconveniências. E realmente, quando eles chegaram lá e sentaram-se aguardando o início do jogo, ela teve certeza de ter tomado a decisão certa! Joseph não parava de sorrir enquanto explicava para ela como o jogo funcionava, as marcações da quadra e o valor de cada cesta.

— Você está muito bonito com essa tinta no rosto. — Ela sorriu e ele riu. As cores roxa e amarelo enfeitavam as bochechas dele em quatro listras, duas em cada bochecha.
— Você ao menos ouviu minha explicação? — Joe arqueou uma das sobrancelhas.
— Claro que eu ouvi, Joseph! — Demi tentou sustentar o olhar dele, mas acabou rindo e ele balançou a cabeça.

— Demi, Demi... — Ela bebericou o refrigerante light que Joseph comprou na entrada e conteve o riso.

— Veja só, estamos no telão! — Demetria apontou e Joseph olhou na mesma direção que ela. Eles estavam no centro de uma moldura no telão formando um grande coração vermelho! Joe virou-se para Demi, segurou-lhe o queixo e inclinou-se para beija-la. As pessoas que assistiam ao casal gritaram e bateram palmas para eles!
— Eu sempre quis fazer isso. — Joe disse após partir o beijo com alguns selinhos e sorriu.
— E nós fizemos. Não há nada que não possamos fazer juntos, certo?
— Certíssima.

****

          O volume da televisão estava alto, mas as vozes conseguiam sobressair perfeitamente o som e Sabrina sorriu satisfeita ao identificar a voz de Bradley. Aquela era sua primeira vez sozinha em casa com os irmãos e o namorado sem que houvesse algum adulto para ficar de olho neles! Para qualquer adolescente seria uma ótima oportunidade para aprontar alguma, mas Sabrina contentava-se com aquele espetáculo particular.

— Ei, vai ficar ai olhando? — Samuel estalou os dedos na frente dela. — Onde está nossa pipoca?
— Eu vim justamente pedir sua ajuda para conseguir carregar tudo.
— Vamos o jogo começa em poucos minutos. — Ele agarrou uma das mãos da irmã e isso fez com que ela caminhasse um pouco mais rápido atrás dele! Sabrina não deixou de reparar que o irmão estava ficando mais alto e sorriu boba com isso.

— Você está estranha, Bi.
— Eu acho que datas comemorativas mexem bastante comigo. — Ela confessou enquanto pegava duas bandejas e colocava as tigelas cheias de pipoca nelas. — Fico pensando em como as coisas, as pessoas e até mesmo o tempo muda!
—É você é estranha mesmo. — O garoto brincou e eles riram.
— Veja só você, Samuel. — Sabrina observou. — Está crescendo e logo vai se tornar um homem, não sei se estou preparada.
— Mamãe já me disse isso. — Ele pegou os copos e o refrigerante gelado para servir. — Mas se fosse você não iria tão longe, sabe? Nossa família vai aumentar em breve e não acho que serei mais o único menino. — Riu. — Está preparada para isso? Um bebê! Pensar em um bebê é uma coisa muito louca, né? Já fomos bebês um dia, mas só sabemos como é quando se tem outro e...

— Eu estou com fome! — Samanta apareceu na cozinha e jogou os braços dramaticamente ao ar. — Onde está minha pipoca? Sabrina, você me prometeu!
— Se bem que ainda temos um bebê, veja só. — Sabrina brincou.

— OS PAIS DE VOCÊS ESTÃO NA TV! — Bradley anunciou em alto e bom som. A correria até lá espalhou pipocas pela casa, mas isso não foi um problema já que Buddy, sem pestanejar, comeu todas elas!

          Sabrina sentou-se ao lado do namorado lhe entregando uma tigela de pipoca, ela olhou imediatamente para frente e sorriu ao ver os pais no famoso "telão de beijo" que fazem antes do jogo começar. Samanta e Samuel que estavam sentados no tapete felpudo da sala, riram da cena.

— Estão felizes. — Brad comentou baixinho.
— Sim, eu vejo e saber que isso é verdade me proporciona grande paz. — Ela comentou no mesmo tom de voz e sorriu. — Percebi que eles mudaram, não como foi da primeira vez, mas sinto que agora eles estão numa vibe diferente.
— Melhores amigos acima de tudo, certo? — O garoto sorriu e Sabrina lhe deu um selinho.
— Exatamente! Assim como nós dois. — As coisas entre eles estavam mais sérias do que nunca e ela conseguia imaginar um futuro não muito distante junto com ele. Bradley também pensava nisso, vez ou outra, ele comentava coisas como "O que acha que combina mais com nós dois: uma casa ou um apartamento?" A cada resposta os olhos dele brilhavam e quando questionado pelo motivo de perguntar coisas do tipo, Bradley apenas sorria.

**** 

          Demetria saiu do estádio uma completa bagunça! Nos primeiros minutos do jogo, ela descobriu ser uma torcedora e tanto ao lado de Joseph. Eles comemoraram e vibraram com cada ponto feito pelo time, mas também se irritaram e xingaram o juiz por causa das faltas que julgaram ser injustas! Ela apoiou-se nele quando chegaram ao lado de fora e riu.

— Joseph, acho que estou ficando sem voz! — Demi anunciou aquilo entre risos. Joe segurou-lhe pelos ombros e olhou para ela preocupado.
— É melhor não falar mais nada. Você só precisa descansar e sua voz vai estar de volta amanhã, o.k.?
— Caralho, isso foi muito divertido! — Ele não aguentou e riu também. — Precisamos fazer isso mais vezes. Seus amigos que se cuidem, agora eu entendo de basquete!
— Shh... sem mais palavras. — Eles continuaram caminhando pelo estacionamento e Demi assentiu sorrindo. — Nós viremos mais vezes e quem sabe, trazemos as crianças para torcer também. Acho que seria divertido! — O toque do celular dele se fez audível pela primeira vez desde que eles saíram e imediatamente Joe pegou o aparelho.

— Veja só, falando nas crianças... — Ele mostrou o nome de Sabrina brilhando na tela.
— Atende. — Demi disse com dificuldade e suspirou.
— Poupe sua voz. — Joe lhe deu um rápido beijo na testa e atendeu o celular.

— BOA NOITEEEEEE! — A voz das crianças fez eco do ouvido de Joe e ele riu afastando o celular da orelha para coloca-lo no viva voz.
— Vocês já deveriam estar na cama.
— Nós estávamos assistindo o jogo. — Sabrina disse. — Mas não se preocupe, vou colocar as crianças na cama.
— Ei! Isso inclui você também, Sabrina. — Samuel disse e Demi riu baixinho.
— Tá bom, talvez isso me inclua. — Ela riu. — Como vocês estão?

— Vimos vocês na TV! — Samanta disse animada. — Mamãe está ai?
— Estamos bem. — Joe sorriu. — Sim está aqui, mas ela não se encontra em condições de falar.
— Eu vi o modo como ela torcia, deve ter sido uma gritaria e tanto.

— Exagerada. — Demi resmungou.

— Eu ouvi isso! — Sabrina riu. — Estou com saudade, mamãe.
— Ela também está com saudade de todos vocês. — Joe respondeu antes mesmo que Demi resolvesse se esforçar outra vez. — E quer saber o que vocês ainda fazem acordados?
— Bradley pode dormir aqui? Eu liguei para perguntar isso, então... — Sabrina deixou a frase no ar, estava com vergonha de pedir isso.

— O que você acha? — Joe perguntou baixinho para Demi.
— Ué, agora você quer que eu fale? — Ela brincou. — Por mim tudo bem. E você, o que acha? — Ele assentiu.

— Claro, querida.
— Obrigada! Eu vou ajeitar as coisas por aqui. Se cuidem, o.k.? Amo vocês.
— Também te amamos.
— TCHAAAAAU! — Os três disseram em uníssono e desligaram.

— Eu sinto tanta falta deles. — Demi disse baixinho e suspirou. Ela pegou as chaves do carro que havia alugado do bolso e apertou o botão para destravar o veículo.
— Vai vê-los em breve, prometo. — Ela olhou na direção dele e sorriu.
— Precisa de ajuda? — Demi perguntou antes de adentrar no carro.
— Eu consigo, não se preocupe.

— Essa é a parte difícil do trabalho. — Demetria comentou dando partida no carro e Joe olhou para ela enquanto colocava o próprio cinto.
— Qual? — Ele perguntou.
— Passamos alguns meses fora, mas parece mais que isso. Sabe? E quando nos damos conta, nossa filha já é uma mulher. Eu percebo que as coisas estão ficando mais sérias com Bradley e acho que você percebeu também, não é mesmo?
— Sim, eu percebi.
— É uma questão de tempo até que eles resolvam dar o próximo passo. — Joe sentiu a emoção na voz dela.

— Querida, você está chorando?
— Não! — Ela riu entre lágrimas.
— Nós criamos uma menina incrível, Demi. —Joe segurou-lhe a mão livre. — É natural que futuramente ela queira formar uma família assim como nós fizemos, então acho que isso deve ser motivo de alegria.
— Eu estou feliz, mas e se não fui uma boa mãe? E se não conseguir concertar isso?

— Você foi e é uma ótima mãe!
— É muito para processar, me desculpe.
— Não peça desculpas, eu entendo perfeitamente o que está sentindo. Eu também tremo só de pensar na minha garotinha se casando um dia! — Eles riram. — Mas sei que é apenas o curso natural das coisas e que nunca vamos deixar de estar ao lado dela para apoia-la no que for preciso.

— Será que aguentamos passar por isso com mais três crianças?
— Samuel, Samanta e...
— Nosso S4, não me diga que se esqueceu dele ou dela.
— Não, eu não me esqueci. — Joe sorriu. — Acho que aguentamos.
— Era tudo o que precisava ouvir. Obrigada, Joseph! — Demi aproveitou que estavam parados no sinal vermelho e beijou o marido.

--

1/?
ainda hoje vou postar mais
vcs estão preparados?
se preparem que vem muito tombo por ai

2 comentários:

  1. Eu sou vou dizer uma coisa:
    Eu não digo mais é nada
    Pelo amor de deus ta ficando melhor do que nunca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz que tenha gostado, anjo <3

      Excluir