24/06/2018

Broken Frame: Capítulo 46 • Tell me you love me





CALIFORNIA, 06:45 A.M

          O dia 15 de agosto chegou e com ele o trigésimo sexto aniversário de Joseph Carpenter. Joe acordou sozinho em sua grande cama king size, virou-se para o lado e como de costume, agarrou o travesseiro da esposa. Ele inalou o perfume suave que ainda se fazia presente no tecido e suspirou, era seu primeiro aniversário sem ela em dois anos! Seus pensamentos foram interrompidos pelo barulho da porta do seu quarto sendo aberta, ele sentou-se na cama e encarrou Samuel em pé na porta. O garoto vestia o uniforme da escola e o encarrava com uma das sobrancelhas arqueadas.

—Papai, vamos nos atrasar se o senhor não levantar agora! — Ele franziu o cenho e encarrou o filho.
— Você vai mesmo estudar? Sabe que dia é hoje?
— É dia de prova! — O garoto disse dramaticamente. — Cinco minutos para se arrumar, estaremos te esperando na cozinha. — O garoto saiu tão rápido quanto entrou e deixou Joe confuso. Não era possível que seus próprios filhos haviam se esquecido de seu aniversário ou seria? Samuel saiu rindo baixinho, era esse o combinado.

          Ele levantou-se da cama, encaixou a nova prótese na perna e caminhou rapidamente até o banheiro para fazer sua higiene matinal. Joe não demorou muito escolhendo as roupas que ia vestir, na verdade ele escolheu qualquer uma e saiu do quarto pulando em um pé só vestindo as calças. Ao descer as escadas, ele viu Samanta e Samuel sentados no sofá, ambos com os braços cruzados esperando por ele.

— Bom dia, crianças! — Ele cumprimentou os filhos depositando um beijo na testa de cada um deles.
— Bom dia, papai. — Responderam em uníssono.
— Onde está Sabrina?
— Eu estou bem aqui! — A voz e o barulho dos saltos contra o piso anunciaram sua entrada no cômodo. — Bom dia, papai. Pequenos! Estou de saída. Rowan me ligou e precisa de mim para resolver um problema com o namorado dela, algo assim... — Ela fez um gesto com as mãos. — Meu táxi já chegou e vou indo nessa. Vejo vocês mais tarde! — Sabrina despediu-se dos irmãos e por último de Joe que estava boquiaberto no meio da sala.

— Podemos ir, papai? — Samanta perguntou levantando-se do sofá. — O senhor parece estar... hm... meio perdido. — A garotinha riu.
— Eu acho que estou mesmo. —Joe riu também e balançou a cabeça. — Vamos, não quero que cheguem atrasados. — Os pequenos pegaram suas mochilas e saíram junto com Joseph.

          O caminho até a escola de cada um deles foi repleto de conversas sobre assuntos aleatórios, menos seu aniversário. Aquele dia estava mesmo estranho! Ele deixou Samuel primeiro e depois Samanta. Joe não costumava trabalhar em um dia como aquele, mas sem ninguém em casa ele não tinha motivos para voltar e acabou por pegar o caminho que o levaria para seu trabalho na associação.

LOS ANGELES, 10:00 A.M

          Iggy acordou graças as batidas insistentes em sua porta! Ela levantou-se do sofá e acabou por derrubar uma variedade de revistas de noiva que estavam em seu colo. Garbo estava viajando para resolver uns assuntos do casamento e ela estava aguardando o contato da estilista que estava fazendo seu vestido. A loira até pensou que poderia se tratar dela, mas ela não apareceria sem avisar, não correndo o risco de dar viagem perdida!

— Seja quem for, eu vou... — Ela disse já abrindo a porta de forma brusca. — Matar... AI MEU DEUS, DEMI! — Iggy pareceu despertar de uma vez de seu estado sonolento e abraçou Demetria.
— Sim, sou eu e você já está me matando com tamanha força! — Demi riu e Iggy partiu o abraço.
— Entre, por favor. — Ela cedeu espaço e Demi entrou no apartamento já retirando os sapatos. — O que faz aqui? Achei que estivesse ocupada com as coisas da turnê.

— Sabrina não te contou? — Demi perguntou franzindo o cenho e jogou-se no sofá da amiga. — Eu faço parte da surpresa de aniversário do Joseph. — Ela sorriu.
— Não, ela não me contou. — Iggy recolheu as revistas do chão, colocou todas elas na mesinha de centro e sentou-se ao lado dela.
— Vai ver ela queria que fosse uma surpresa para todos.
— Deve ser isso mesmo. — Ela assentiu e sorriu para Demi. — Estou tão feliz que esteja aqui! Quando você chegou?
— Hoje mesmo. Na verdade estive aqui na semana passada para fazer alguns exames, vou receber os resultados hoje e esse também é um dos motivos pelos quais estou aqui. — Demi explicou. — Até conversei com a médica, tentei convencê-la de me falar logo o resultado pelo telefone, mas ela insiste em me falar pessoalmente.

— Exames? Você está bem? — Iggy perguntou preocupada.
— Eu estou ótima! Só fiz esses exames para saber se está tudo "O.K" para uma possível gravidez. — Demi sorriu. — Joseph já tinha comentado comigo um tempinho atrás sobre querer mais um filho, mas não pensava muito nisso. As crianças também tocaram no assusto e disse que poderíamos pensar melhor na possibilidade depois da turnê. Só que tudo mudou enquanto pensava em um presente de aniversário, eu não consegui pensar em mais nada que o Joe quisesse que não fosse esse filho. — Iggy abanou-se sentindo os olhos marejaram pela emoção de ouvir Demi falar sobre ter mais um filho.
— Vocês dois podem até pisar feio na bola, mas se amam tanto e é um amor tão lindo que me faz chorar! Caralho, olha só o que você fez comigo. — Iggy deixou algumas lágrimas escaparem e Demi riu puxando-o para mais um abraço. — Eu fico muito feliz por você, amiga.
— Obrigada. — Ela agradeceu sorrindo e partiu o abraço poucos segundos depois.

— Ah, antes que eu me esqueça... Adivinha só quem suspeita de gravidez!
— Quem? — Demetria perguntou sem conseguir conter a curiosidade.
— Selena.
— Jura? Que noticia boa!
— Sim, foi bem por acaso que descobri e acabei sabendo em primeira mão sobre as suspeitas. Ela ficou de fazer o exame e tudo mais, então não sei mais nada sobre isso.
— Faz tempo que não conversamos também. Ela confirmou que vai hoje?
— Pelo que Sabrina me disse, ela e Nick confirmaram presença. Quase todos confirmaram! — Ela sorriu. — Quem sabe ela não nos conte algo sobre isso hoje.

— Ah, eu estou muito ansiosa! — Iggy sorriu.
— Mudando de assunto, como anda os preparativos para o grande dia? — Demi perguntou e riu quando a loira revirou os olhos.
— O local está em reforma, aconteceu algo e eles precisaram concertar. Garbo viajou para saber mais detalhes, não queremos correr o risco de acontecer imprevistos no dia e tudo mais. Caso seja necessário adiar, queremos fazer isso com antecedência para remarcar com o restante do pessoal. Em outras palavras, estou tendo uma baita dor de cabeça! — Demi riu. — E você ainda ri? Cadê o apoio moral?
— Eu só senti essa dor de cabeça quando ajudamos Selena com o casamento dela. Meu casamento foi as pressas, então meus pais e os pais de Joseph que organizaram tudo! Eu apenas entrei de branco. — Demi deu de ombros.

— Nunca pensou em renovar os votos? Sei lá, fazer algo do jeito que você queria.
— Joseph já comentou sobre isso uma vez. Disse que deveríamos recriar boas memórias daquele dia, memórias em que eu estivesse plenamente feliz, mas não achei necessário. — Ela deu de ombros. — Mas voltando ao seu casamento... Relaxa, logo termino minha turnê e volto para te ajudar! Vai dar tudo certo.
— Já estou contando os dias. — O alarme do celular de Demi tocou e ela pegou o aparelho.

— Preciso ir.
— Mas você acabou de chegar. — Iggy segurou uma das mãos de Demi. — Fica mais um pouco, por favor.
— Eu volto. — Ela sorriu. — Vou apenas pegar os resultados do exame.
— Volta mesmo, hein! — Iggy riu e levantou-se para acompanha-la. — Eu ia me oferecer para ir com você, mas preciso dar uma geral por aqui e ir buscar o presente do Joe.
— Não tem problema. — Demi disse virando-se para Iggy assim que chegaram na porta. — Eu te ligo assim que sair de lá e podemos nos encontrar aqui? Quero evitar que algum paparazzi me veja e estrague minha "visita surpresa".
— Combinado. — A loira sorriu e despediu-se de Demi.

— Por curiosidade, qual é o seu presente?
— Garbo chamou Jake, Cole e Jinjoo para o bolinho surpresa.
— Amigos de Infância. — Demi sorriu.
— Sim, eles coincidentemente estão se mudando para Los Angeles e fiquei responsável por busca-los.
— Isso é muito bom! Tenho certeza de que Joe vai gostar de revê-los.
— Assim espero. Até mais tarde! — Iggy acenou.
— Até. — Demi acenou igualmente enquanto se afastava e chamava o elevador.

****

          Demetria não demorou muito para chegar na clinica e quando chegou, alguém esperava por ela lá fora. Assim que adentrou, estranhou a sala de espera estar vazia e acabou sendo conduzida pela recepcionista diretamente ao consultório de Ashley. A loira recebeu Demi na porta, elas trocaram um breve abraço e saudações de "Boa Tarde".

— Confesso que você me deixou um pouquinho nervosa.
— Mesmo?
— Sim, você disse que era importante que nos víssemos pessoalmente e aqui estou.

— Posso te fazer uma pergunta? — Ashley disse acomodando-se em sua cadeira e Demi sentou-se de frente com ela assentindo. — Tirando o fato de você querer engravidar, existe mais algum motivo pelo qual você pediu os exames? Algum sintoma? Algo de estranho que tenha notado? Qualquer coisa.
— Eu sinto dores abdominais de vez em quando, mas isso é normal já que estou em turnê e me movimento bastante pelo palco. — Demi franziu o cenho. — Trata-se de uma dor leve.
— Pedi que você viesse para que eu pudesse explicar exatamente os resultados dos exames.
— Ashley, você está me assustando. — Demi riu baixinho numa tentativa de descontração, mas ao ver o semblante da médica, sentiu o coração apertar angustiado no peito.

— Demi você tem Endometriose. — Ela disse sem rodeios e ajeitou-se na cadeira. — É um distúrbio em que o tecido que normalmente reveste o útero cresce fora dele. — Demetria ficou em silencio por alguns instantes e Ashley abriu os exames indicando algo numa das folhas para que ela olhasse.
— Por isso me pediu tantos exames? — Ela perguntou encarrando as folhas.
— Sim.
— E o que isso significa? — Demi sustentou o olhar dela.
— Você não poderá engravidar. — O restante da explicação da médica entrou por um ouvido e saiu pelo outro, mas não foi intencional, ela só estava abalada demais para conseguir prestar atenção em qualquer coisa! Aquela noticia não poderia te vindo numa hora pior, foi pior que um soco no estomago ou um banho de água fria. — Demi, espere! O que está fazendo? — Ashley perguntou assim que Demetria levantou-se e alcançou a maçaneta da porta. — Você ouviu as coisas que disse? —Não tem cura! Não tem cura! Não tem cura! Essa era uma das únicas partes que ela havia realmente ouvido e repetia sem parar como um disco velho.

— Eu preciso ir. Tenho um show em Detroit amanhã e preciso ensaiar ainda hoje! — Ela falava tudo de forma automática, era como se seu corpo estivesse agindo por conta própria enquanto ela se escondia em algum lugar ali dentro para tentar lidar com aquela situação. — Obrigada por tudo.
— Quando você volta para discutirmos o tratamento? — A resposta para essa pergunta foi o barulho da porta sendo fechada.

          Ao chegar do lado de fora da clinica, Demetria colocou o capuz do casaco que usava e adentrou no carro. Ela pegou as chaves, mas sua mão tremia e coloca-la no contato tornou-se uma verdadeira batalha. Foram cinco minutos até que ela conseguisse e então, iniciou-se uma corrida contra o tempo! O transito das 18:00 horas pegou Demi desprevenida e ela não teve para onde fugir, ficou presa ali com sua mente perturbada e o coração que aos poucos se partia. Levou exatos 45 minutos para voltar ao apartamento de Iggy e ela só voltou por ter deixado sua bolsa lá, precisava dela se quisesse pegar o próximo avião para Detroit! Bateu na porta quase que desesperada e quando Iggy abriu, logo puxou-a para dentro.

— Céus, você demorou! Adivinha quem está aqui?
— Quem? — Ela perguntou encarrando Amélia.
— Você vai ver. Você vai ver! Venha. — Elas caminharam até a sala.

— Surpresa! — Selena sorriu para ela e levantou-se para cumprimenta-la.
— Sel. — Demi disse enquanto estavam abraçadas  — Como você está? Faz tanto tempo que não nos falamos. — Selena partiu o abraço e deu um passo para trás.
— Eu estive ocupada ajudando Nicholas com o lançamento do álbum e depois esse bolinho surpresa para o Joseph... acabei ficando sem tempo! — Ela riu.
— Ela estava para me contar algo quando você chegou. O que é mesmo, Selena? — Demi engoliu em seco e sentiu as mãos tremerem outra vez. O suspense só servia para deixa-lala ainda mais nervosa!

— Meninas... EU ESTOU GRÁVIDA! — Ela disse animadamente. Iggy soltou um grito animado logo depois e abraçou Selena fortemente já com lágrimas rolando pelas bochechas enquanto lhe parabenizava. Ao contrario dela, Demi não conseguiu esboçar uma reação imediata. Todos os seus sentidos estavam uma bagunça!
— Demi, você acredita nisso? — Iggy voltou sua atenção para Demetria e pela primeira vez pareceu perceber que ela estava estranha. — Demi?
— Selly, eu estou muito feliz por você. — Demi aproximou-se e lhe deu um abraço. — Parabéns! Você e Nicholas merecem essa benção.
— Obrigada, Demi. — Selena sorriu. — Ele está tão feliz! Quando liguei para Iggy e ela me disse que você estava aqui, precisava te contar pessoalmente.

— Mesmo? Eu...
— Sei que ainda é cedo, mas quero que você e Joe sejam padrinhos do bebê.
— Selena, eu não sei o que dizer. — E ela realmente não sabia!
— Apenas diga que aceita. Você aceita?
— Claro que aceito. — Demi forçou seu melhor sorriso. — Joseph já sabe?
— Vai saber mais tarde, vai ser meu presente de aniversário.
— Ele ficará muito feliz. — Selena sorriu, mas também notou que havia algo de estranho com ela. — Assim como eu fiquei feliz. — Ela afastou-se e pegou a bolsa.

— Onde você vai? Precisamos comemorar!
— Surgiu um problema e preciso ir resolver. — Ela despediu-se de Iggy e de Selena. — Vejo vocês mais tarde. O.k.?
— Espera, eu te acompanho até a porta. Como foi sua consulta? Tudo certo?
— Não precisa, eu fecho quando sair. Até mais! — Ela saiu fechando a porta atrás de si e Iggy ficou parada no meio da sala tentando entender o que havia acabado de acontecer.

— Ela está bem? — Selena perguntou e sentou-se no sofá.
— Sim, ela saiu daqui e estava ótima. — Iggy sentou-se ao lado dela.
— Você perguntou sobre uma consulta médica. Ela estava com algum problema? — Iggy pensou um pouquinho para responder aquela pergunta.
— Não sei bem, ela está cansada e com saudades de casa. — Ela mentiu para que Selena não se sentisse mal por ter contado sobre sua gravidez em um momento que podia ser tão "delicado" para Demi. E pensar nisso deixou Amélia preocupada, pois Demetria parecia abalada e pela falta de reposta, significava que ela não havia recebido boas noticias.

****

          Joseph passou o dia trabalhando. Por lá muitos lhe desejaram "Feliz Aniversário" exceto Alycia e Toby, ambos agiram como se tratasse de um dia comum e isso o fez pensar que estavam aprontando alguma coisa! Ele saiu da associação ao entardecer e durante todo caminho pensava no que deveria cozinhar quando chegasse em casa. As crianças haviam ficado com os pais de Demi e a vantagem era que eles se comprometeram em leva-las para casa, então não precisaria sair do seu trajeto. O trânsito já era esperado, Joe não estressou-se com isso, ligou o rádio baixinho e tentou ligar para Demetria. Havia tentado falar com ela diversas vezes e nada! Pensar nela fazia seu coração apertar no peito, talvez pela distancia, mas dessa vez era diferente. Será que ela estava bem?

— Amor, sou eu de novo. — Ele disse assim que caiu na caixa postal, já havia deixado diversos recados. — Você está bem? Me liga quando pegar esse e os outros cem também! — Riu baixo. — Estou preocupado e... — "Essa caixa de mensagens já está cheia". Joseph desligou, jogou o celular de lado e praguejou baixinho.

          Em casa, Sabrina estava parada no meio da sala dando as coordenadas para os tios que penduravam uma faixa feita pelas crianças e nela estava escrito: "Feliz aniversário, papai! Nós te amamos ♡"

— Um pouco mais para cima... isso, mais um pouco e... Perfeito! — Ela sorriu. — Obrigada. — Ela abraçou cada um deles e foi atender a porta, os convidados estavam chegando.

— Boa noite, Tia Iggy. Que bom que veio! — A garota sorriu e cumprimentou Amélia.
— Boa noite, gatinha. — Ela sorriu. — E não vim sozinha! Jake, Cole e Jinjoo, amigos de infância do seu pai.
— É um prazer conhecê-los. — Sabrina cumprimentou cada um deles e deu espaço para que adentrassem.

— Como você cresceu! Eu troquei suas fraldas, sabia? — Jinjoo sorriu e Sabrina riu guiando-os até a sala onde estavam os outros convidados.

— Sabrina, venha aqui. — Iggy chamou e a garota veio imediatamente até ela. — Sua mãe já deu noticias?
— Não, mas acredito que ela esteja chegando. — Respondeu sorrindo e quando Iggy ia contar, Selena apareceu na sala.

— Sabrina, Dianna e Denise estão chamando por você. — Ela disse tocando o ombro da garota.
— Ah, sim! Devem estar precisando de ajuda para servir o pessoal. Volto já, o.k.? — Iggy assentiu e a garota saiu acompanhada pela tia.

— TIA IGGY! TIA IGGY! — Samanta veio correndo na direção de Amélia e ela sorriu abaixando-se para receber um abraço da afilhada.
— Oi, querida. Você está bem? — Ela pegou Samanta no colo e encheu as bochechas da pequena de beijos.
— Estou bem e a senhora?
— Estou ótima! — Ambas sorriram.

— Sorriam! — Samuel disse já posicionando a câmera e batendo uma foto das duas. — Veja só como ficou. — Ele mostrando para Edward que o acompanhava com um copo de refrigerante em mãos.
— Irado!
— Deixa eu ver, Sam. — Iggy colocou Samanta no chão e também juntou-se aos pequenos para ver a fotografia.
— Você é o fotografo da festa? — Perguntou após dar um beijo na bochecha do garoto.
— Na verdade Bradley que está tirando as fotos, mas Sabrina pediu que ele ficasse lá fora para avisar quando o papai chegasse.

— E ele já está chegando?
— Quase, ele sempre chega lá pelas 20:00 horas.
— Entendi. — Ela assentiu. — Ah e onde devo colocar o presente?
— Naquela pilha de caixas ali. — O garoto apontou. — Se a senhora me der licença, vou fotografar os amigos do papai.
— Vai lá, Sam. — Iggy sorriu e o garoto saiu acompanhado do amiguinho.

— CHEGUEI! — O grito assustou parte dos convidados, mas se tratava apenas de Garbo e Iggy balançou a cabeça negativamente para o noivo. — Que isso pessoal? Eu só estava testando se estavam atentos mesmo! — Ele riu e aproximou-se para abraçar a noiva.
— Achei que não fosse conseguir voltar hoje. — Eles se abraçaram e Iggy lhe deu um selinho demorado. — Tudo bem? Algum problema?
— Está tudo bem, amor. — Ele sorriu. — Foi apenas um cano de água que estourou e eles já trocaram.
— Isso significa que vamos mesmo nos casar. — Iggy sorriu.
— Sim, nós vamos. — Greg sorriu. — Sabe onde tem comida aqui? Eu estou morrendo de fome!
— Vou deixar o presente na mesa e já vamos lá na cozinha. O.k.? — Ele assentiu e esperou ali mesmo por ela, apenas acenando para o restante do pessoal.

          Sabrina estava ajudando as avós na arrumação da mesa e ria das histórias que ouvia sobre quando Joseph era mais novo. O bolo estava no centro da mesa, repleto de velinhas coloridas e de pequenos desenhos de notas musicais feitos de pasta americana preta. Os demais docinhos estavam sendo colocados nas laterais e tudo estava ficando perfeito!

— O pessoal está com fome. — Paul apareceu na cozinha acompanhado de Eddie.
— Vocês se importam de levar os salgadinhos? Nós ainda não acabamos aqui.
— Claro, querido. — Eddie sorriu. — Ah e sua mãe já deu noticia?
— Até agora nada, já estou... — O celular de Sabrina começou a tocar e ela rapidamente pegou o aparelho para ver quem era. — É ela! — Ambos sorriram e logo depois voltaram aos seus afazeres.

— Oi mãe! Cadê você? Todo mundo já chegou e...
— Sabrina, eu não poderei ir. — A garota parou imediatamente o que estava fazendo e recebeu os olhares curiosos das avós.
— Como assim?
— Eu estou no aeroporto, surgiu um problema e preciso ir para Detroit. — Havia algo de errado nessa história toda, Sabrina sentiu e ficou em silêncio alguns instantes escolhendo as palavras. Ela não estava nem se esforçando para mentir! Era como se estivesse em modo automático.

— Não pode pegar o primeiro voo amanhã cedo?
— Eu já estou aqui, querida.
— Mas mãe me responde uma coisa, você está bem?
— Sim, sim, eu estou bem. — A garota ainda não estava convencida, mas percebeu que não adiantaria insistir.
— Tudo bem, nós damos um jeito por aqui.
— Me desculpe, eu... realmente não posso ir. — A voz dela vacilou e Sabrina apertou o celular com força. — Preciso ir agora, vou embarcar. Dê um beijo no seu pai por mim, o.k.? Eu te amo.
— Também te amo. — Ela respondeu. —Mamãe, espera... — Demi já havia desligado e Sabrina suspirou pesadamente guardando o celular de volta no bolso da calça.

— O que foi, querida? — Dianna tocou o ombro da neta e percebeu o olhar preocupado quando Sabrina olhou para ela.
— Ela não vem.
— Não? — Denise franziu o cenho. — Ela está bem?
— Disse que está bem.
— Mas você não acreditou, não é mesmo? — Dianna perguntou baixinho apenas para que Sabrina ouvisse e ela assentiu.

— PESSOAL, ELE CHEGOU! — Bradley disse em alto e bom som da sala para que todos ouvissem.
— Vamos lá! — Sabrina disse já apagando as luzes da cozinha e da sala de jantar. Elas se juntaram ao pessoal na sala e também apagaram as luzes.
— Todo mundo quieto! — Kevin disse alto e a pequena Alena riu baixinho no colo da mãe.

          Joseph estacionou o carro na garagem e assim que desceu o veículo foi recepcionado por Buddy. O cachorrinho latiu para ele, ficou passando perto de seus pés e dando alguns pulinhos!

— Ei, garoto. — Joe sorriu pegando o filhote e afagando sua cabeça com carinho. — O que está aprontando, hein? — Ele deu mais alguns latidos e começou a caminhar. — Parece que somos só nós dois. O que acha de comer um delicioso pedaço de bife? — Mais alguns latidos e ele caiu na gargalhada. — Vamos nos divertir bastante! — Ele pegou as chaves do bolso, abriu a porta e adentrou no escuro mesmo, fechando-a logo atrás de si. Assim que ele acendeu as luzes...

— SURPRESA! — Uma chuva de papel picado caiu sobre ele seguido das risadas por sua real expressão de "surpresa".
— Eu sabia que estavam aprontando! — Ele colocou o cachorrinho no chão e pendurou a bolsa que usava em um dos suportes para casaco. — CÉUS, EU SABIA! — Riu e aproximou-se para cumprimentar seus amigos e familiares.

         Joseph perdeu-se no tempo entre abraços e felicitações, ele não conseguia parar de sorrir! Reencontrar os amigos de infância também lhe rendeu boas gargalhadas e lembranças das coisas que eles aprontavam. Todos estavam bem entrosados, conversando e comendo, por isso Joe não ouviu quando seu telefone tocou!
— Deixe seu recado após o bip...

— Querido, sou eu. Me desculpe por não pegar seus recados antes, está tudo bem e não precisa se preocupar comigo. Já deve saber que todos estavam fingindo ter esquecido seu aniversário, inclusive eu fingi esquecer, mas tudo isso fazia parte de uma grande surpresa. — Ela fez uma pausa. — Por isso estou aqui para te desejar um "Feliz Aniversário!" Espero que essa nova etapa seja repleta de muitas realizações e que você possa alcançar tudo aquilo que deseja. Você é um homem maravilhoso e um marido mais maravilhoso ainda! Eu te amo.

          Joseph sorria e batia palmas enquanto cantavam para ele. As 36 velinhas no bolo brilhavam e um pequeno filme de sua vida rodou em sua cabeça! Momentos felizes, tristes, mas lá estava ele comemorando mais um ano. Assim que apagou as velinhas, todos bateram palmas, uns assoviaram e outros gritaram por "discurso"!

— Eu gostaria de agradecer aos meus filhos por planejarem essa surpresa, meus pais e sogros pela força e todos os meus amigos que aqui estão. Fico muito feliz por estar aqui e ter a oportunidade de comemorar mais um ano de vida junto com vocês! Confesso que não estava esperando, foi uma surpresa de verdade e fico muito agradecido por se importarem com o velhinho aqui. — Todos riram e Joe cortou o primeiro pedaço de bolo. Ele o pegou para si e logo deu uma garfada rindo daqueles esperavam o primeiro pedaço.

— Você é baita guloso! — Joseph riu com o comentário de Selena.
— O que posso dizer? Estou faminto! — Ela riu baixinho. — Não vai comer bolo?
— Não, eu estou enjoada de bolo. — Selena encostou-se na parede e recebeu um olhar curioso do amigo.
— Fico te devendo um pedaço. — Ele piscou e sorriu para ela.

— Amor, você já contou? — Nick perguntou ao abraçar Selena por trás e sorriu.
— Contar? Será que sou sempre o último a saber das coisas? Veja só essa festinha... — Joseph disse num tom brincalhão e eles riram. — Falando sério agora, o que vocês tem para contar?
— Joseph, eu estou grávida. — Joe ficou parado com o garfo próximo aos lábios e olhando de Selena para Nicholas por alguns instantes.
— AI MEU DEUS! — Ele largou o pratinho na mesa e abraçou Selena. — Isso é maravilhoso! Parabéns.
— Obrigada, Joe. — Ela sorriu assim que partiram o abraço e riu do modo como Joe abraçou Nicholas, faltou muito pouco para que os pés dele não tocassem mais o chão!

— Eu estou muito feliz por vocês!
— E nós ficaríamos ainda mais felizes se você aceitasse ser o padrinho dela ou dele. — Nicholas sorriu. — O que me diz?
— Você aceita? — Selena perguntou sorrindo.
— Sim é claro que aceito! — Ele sorriu.
— Ah, eu fico muito feliz! Demi já aceitou, então só faltava saber de você  — Selena deixou escapar naturalmente.

— Falou com ela hoje? Eu liguei várias vezes, deixei recados e ela não me retornou.
— Falei com ela mais cedo, deve ser por isso. — Selena concertou e sorriu. — Fazia parte da surpresa que ninguém falasse com você, então pode ser que ela ligue depois. Não precisa se preocupar, tenho certeza de que ela está bem!

****

          Demetria ficou acordada durante o voo e por mais cansada que estivesse, não conseguia fechar os olhos sem que se sentisse horrível! Afinal, o que estava acontecendo? Quando que o destino havia decidido ser tão cruel com ela? Os problemas no casamento foram difíceis, mas eles estavam superando bem e fazendo um grande progresso! Havia notado as mudanças positivas, ela e Joseph estavam se comunicando melhor e eram capazes de conversar sobre qualquer coisa. Mas como ela conversaria com ele sobre isso? "Você não poderá engravidar" e "Uma doença que não tem cura". Como isso é possível? Essa era a pergunta que mais ecoava em seu interior! Nos últimos anos ela cuidou de sua saúde como nunca, fez tudo o que havia deixado de fazer e estava saudável, tinha certeza que estava. Não entrava na cabeça dela, aquilo não fazia sentido e Demetria estava relutante em aceitar mais uma rasteira!

          O caminho até o hotel pareceu durar uma eternidade, as luzes e as paisagens passavam como um borrão por ela. Nada era capaz de prender sua atenção! Conforme se aproximava do hotel, sentia o tremor se espalhar pelo corpo, calafrios e o nó na garganta quase se desfazendo. Ela chegou um dia antes do que realmente deveria e precisou esperar até que preparassem seu quarto. Foram os minutos mais angustiantes, Demetria sabia que ia desabar e não queria que acontecesse na frente de outras pessoas. Assim que pode subir, negou ser acompanhada até lá, pegou o elevador e esperou sem paciência alguma que chegasse ao seu andar. As portas se abriram e ela saiu correndo de lá com o cartão—chave em mãos, entrando rapidamente no quarto e fechando a porta. Demi apoiou as costas na madeira e deslizou devagar até atingir suavemente o chão... ali mesmo desabou! O choro que ela prendeu por horas saiu seguido por um grito de dor e frustração, seu peito parecia que ia explodir. Ela abraçou os próprios joelhos, abaixou sua cabeça e ali permaneceu por incontáveis minutos.

          Quando o choro cessou, Demetria levantou-se do chão e caminhou até o banheiro para tomar banho. Ela estava esgotada! Só tinha aquela noite descarregar toda sua frustração, amanhã o pessoal chegava e o ensaio no local do show vinha logo depois. Não demorou muito, apenas o suficiente para se lavar e saiu enrolada numa toalha. Demi não se deu ao trabalho de escolher roupas, deitou-se nua mesmo e puxou os lençóis pata cobrir seu corpo. Ela sentia-se tão pequena e miserável! O que tinha feito para merecer aquilo? Era uma pessoa tão ruim assim? Estava pagando por todos os erros do passado? O toque do celular interrompeu seus pensamentos turbulentos e ela esticou o braço para pegar o aparelho. "Amor" brilhou na tela ao som de Ed Sheeran e seu coração despedaçado apertou. Ela não atendeu de primeira, mas quando Joseph insistiu foi impossível ignorar!

— Alô. — Ele disse e por alguns segundos Demi ficou apenas ouvindo a respiração dele e o barulho das ondas se quebrando na praia. — Alô?
— Boa noite, aniversariante. — A risada dele do outro lado da linha aqueceu seu coração. — Como você está?
— Eu estou bem e você?
— Bem, eu estou bem.

— Tem certeza?
— Como foi sua festinha de aniversário? Me contaram que seus amigos de infância apareceram para dar um "oi". — Ela desconversou.
— Foi incrível! O pior é que realmente achei que haviam se esquecido do meu aniversário, então foi uma surpresa de verdade.
— Fico feliz que tenha se divertido.

— Poderia ter sido melhor, mas você não estava aqui. Ah, Demi... eu senti muito sua falta! — Demi sentiu uma lágrima escorrer por sua bochecha, seguida de outras e um suspiro escapou por seus lábios.
— Também senti sua falta, amor. — Ela disse no melhor tom de voz que conseguiu. — Vou entregar seu presente pessoalmente. — Demi não fazia ideia do que compraria, mas pensaria em algo. — Afinal, não é todo dia que se faz 36 anos!

— Você topa entrar numa caixa grande de presente? Eu aceitaria numa boa receber você! — Joe disse em tom brincalhão e Demi riu baixinho, ela ainda tinha lágrimas em seus olhos. — Está mesmo bem? Estou te achando triste, querida.
— Eu já disse que estou bem. — Demi mordeu o lábio. — Só estou cansada. Já faz uns dias que não durmo direito e tem sido uma rotina bem cansativa de shows!

— Tirando o cansaço... tem mais alguma coisa que queira me contar?
— Acho que não. Eu tenho algo para contar?
— Você vai ser madrinha e eu padrinho do bebê da Selena. Jura que não ia comentar sobre isso comigo?
— Ah sim, eu... é tanta coisa na cabeça que acabei de esquecendo! — E naquele momento Demi queria esquecer, não estava fazendo bem pensar que não poderia ter mais aquela oportunidade. — Eu fiquei muito feliz por eles! É mais do que merecido depois de tudo o que eles passaram, não é mesmo?
— Sim, eu fiquei elétrico quando ela me contou! Você precisava ver o Nick, ele não parou de sorrir um minuto se quer.
— Pai e mãe de primeira viagem, será uma aventura e tanto.
— Isso me fez pensar no nosso. — As lágrimas voltaram com força e Demi duvidava que conseguisse suportar ouvi-lo falar mais sobre um filho que eles não poderiam ter!

— Eu preciso desligar, estou esgotada.
— Oh, tudo bem. Tente dormir, o.k.?
— Me desculpa, querido.
— Não precisa se desculpar. — Ele disse com aquele tom leve e despreocupado, não havia nenhum ressentimento.
— Preciso sim, eu sempre estrago tudo! — Demi disse baixinho.
— Não diga isso, está tudo bem. O.k.? Amanhã teremos tempo de sobra para conversar.

— Joseph...
— Sim, querida.

— Diga que me ama. — Ela fechou os olhos e mordeu o lábio com força para conter um soluço.

— Eu te amo, Demi. Te amo muito!
— Eu também te amo. — Ela desligou antes que desabasse e gritasse de frustração pela segunda vez naquela noite. Demetria jogou o celular de qualquer jeito e socou um travesseiro até não ter mais forças para nada! Ela encolheu-se ainda chorando e acabou sendo vencida pela cansaço, caindo no sono poucos minutos depois.

--

BRAZIL, I'M DEVASTATED
gente antes que vcs me matem, isso já estava planejado. o.k? nem tudo é perfeito e não significa que coisas boas não vão acontecer com eles. coisas muito boas vão acontecer sim! então sejam pacientes, posso garantir que vcs vão gostar bastante. 
2/2 pra vocês pq hoje é meu dia de descanso sz
comentem ai o que acharam, vou responder todos os comentarios depois. amo vcs! até o próximo capítulo. 
bjs