Eu nunca pensei que esse dia fosse chegar, mas ele chegou e sinto que preciso fazer isso. Não foi uma decisão fácil, fiquei tentando adiar o máximo possível, mas infelizmente não consegui. Começo pedindo desculpas por fazer isso sem aviso prévio, não era minha intenção, mas simplesmente não consigo! O bloqueio não vai embora e não é um bloqueio qualquer, estou passando por alguns problemas e estou em conflito comigo mesma. Sou uma garota de 19 anos e não faço ideia do que fazer da minha vida, nada acontece e por mais que eu tente, sempre acaba do mesmo jeito. No meio disso tudo surgem as cobranças das pessoas e por mais que elas tentem disfarçar, estão dizendo: "Garota, faça alguma coisa da sua vida!" Eu também me cobro, estou cansada de sentir como se estivesse fadada ao fracasso. Cansada de pensar na minha vida e sentir que tudo é uma grande conspiração para que eu quebre minha cara de novo e de novo. Cansada de decepcionar as pessoas! Eu não posso e nem quero decepcionar ninguém, por isso estou me afastando. Não quero que pensem que não me importo, eu me importo, mas não estou conseguindo escrever e eu amo fazer isso, amo mais do que qualquer outra coisa no mundo! Não quero fazer nada de qualquer jeito, nada menos do que perfeito, vocês merecem algo realmente bom. Quero que saibam que não é um hiatus permanente, vou tirar esse tempinho para estudar e correr atrás de algo para o futuro. Voltarei assim que for capaz de escrever algo novamente, quando sentir que esse fardo está menos pesado e... Acho que é isso, me desejem sorte! Amo muito vocês e arrisco dizer que já sinto saudade. Com amor, Jéssie.

28/02/2014

185 seguidores + spoiler especial'

leiam esse post... é importante :)
Olá meus dengos, como vão? Eu estou assim toda amorosa pq eu consegui atingir uma meta e estou muito feliz... FODIDAMENTE FELIZ *-* 185 seguidores' um ano atrás eu não imaginava que teria tantas pessoas no meu blog. Obrigado por tudo, vocês são muito especiais pra mim e eu amo muito todos vocês. Agora vamos a surpresa, MUAHAHAHA. Ontem eu estava assistindo TV quando eu vi a seguinte chamada do filme "SE EU FOSSE VOCÊ 2 - SÁBADO!" Como todas vocês já sabem eu já fiz uma mini fic do primeiro filme e agora vou trabalhar na segunda para postar depois de MTJ 2. Gostaram? Eu espero que sim ;) vai demorar um pouquinho, mas valera a pena... eu garanto!


O casal Joseph e Demetria volta a viver uma troca de papéis. Depois de alguns anos da primeira troca, os conflitos constantes voltam a prejudicar a relação e o casal resolve se separar. Para tornar a situação ainda mais complicada, eles descobrem que a filha, Bia, agora com 18 anos, está grávida e vai se casar. Quando decidem formalizar a separação, o destino intervém na situação e, pela segunda vez, trocam de corpo. Familiarizados com a situação, decidem sumir durante quatro dias — tempo que durou o fenômeno da última vez. Porém, a tentativa não dá certo. Quando chega o quarto dia, eles continuam com as personalidades trocadas. Então, Joe e Demi entram em desespero e começam a buscar o motivo que não favoreceu a destroca. Tentam repetir algo que resolveu a outra ocasião, o que também não funciona, e acaba engravidando Demetria (ainda com a mente de Joseph). Contrariados, os pais precisam continuar juntos, um no corpo do outro, para poderem organizar a festa de casamento da filha e, assim, viverem várias confusões com o genro, os ricos sogros e os amigos dos noivos.
Inspirada em: Halo 
Filme por: Daniel Filho - Readaptação por: Jéssie Sousa

26/02/2014

Capítulo 12



          Nicholas abençoou o bebê recém nascido que lhe trouxeram e em seguida ele se dirigiu até a capela para fazer suas orações. Passado algum tempinho ele se levantou e começou a caminhar em direção ao escritório, abrindo a porta ele se assustou ao ver um homem de costas para ele observando a rua através da janela. — Foi num dia como este que eu conheci a minha esposa. -Nick adentrou, porém deixou a porta aberta. — Ela tinha 17 anos e era garçonete. Depois que a vi ali naquela lanchonete...  eu nunca mais parei de ir lá.
— Por que esta me contando isso, senhor?

— Depois de 3 semanas ela veio falar comigo, eu era tímido e nem sabia o que dizer para ela. -Joe riu. — Acabamos criando uma relação de amizade muito boa, ela era incrível.... mas, eu não queria ser um amigo. Não, eu não queria. Então, numa bela noite chuvosa e rara na cidade de Boone... eu a acompanhei com meu pequeno guarda chuva até o carro dela. Por algum motivo que eu não me lembro ela se virou para mim com a maquiagem borrada e sorriu. Parecia até que ela estava me encorajando, porém quando eu me aproximei ela me interrompeu dizendo: "Eu nunca beijei ninguém, você provavelmente não vai gostar." -Joe balançou a cabeça. — Eu acariciei a bochecha corada dela com o polegar e a beijei.

— E, bem... como foi? -Nick disse ainda confuso com aquela história.
— Assim que recuei para olha-la tive a certeza de que ela era a garota mais bonita de todo o mundo.
— O que houve com essa garota?
— Eu me casei com ela. -Nick sorriu. — Não do jeito que você pensa. Eu a engravidei e fomos forçados a fazer isso. Eu não tinha certeza se a amava, nunca tive a certeza de nada na vida... eu fiquei apavorado! Tive tanto medo de ser um pai horrível que tornei o primeiro ano do meu casamento um verdadeiro inferno, ela cobrava amor e carinho toda vez que me olhava... -Joe suspirou. — Quando meu primeiro filho completou um ano, eu acabei descobrindo que estava completamente apaixonado por ela.

— O que você fez depois?
— Eu me declarei, ela chorou muito e todo foi um mar de rosas... até meu filho completar 16 para 17 anos. Ela sofreu um acidente de carro e isso acabou por nos afastar um pouco, eu dividia meu tempo entre o trabalho, ela e o garoto rebelde. Um pouco antes do acidente acontecer tivemos uma briga feia, ela queria outro filho e eu não.

— Filhos são sempre uma benção, por que você não queria?
— Nossa situação financeira não era das melhores. -Joe suspirou. — Pouco tempo depois fiz uma vasectomia.
— E como ela reagiu?
— É uma longa historia, Demi pode te contar quando voltar de viagem. -Joe se virou e encarrou Nick nos -olhos.

— Joe?
— Padre Nicholas. -Joe disse num falso tom de alegria. — É um prazer finalmente conhecer o "amigo" de quem minha mulher pouco fala. -Nick ficou calado apenas observando-o. — Escuta aqui cara, eu não sei o que você esta tentando fazer... mas quero você longe da minha mulher, ouviu bem?!
— Ela quem decide isso.
— Como é?!
— Eu sou um padre, pelo amor de Deus. Não estou tentando acabar com o seu casamento, estou tentando salva-lo! O que você pensou que eu estava fazendo?!

— Não me lembro de ter pedido sua ajuda.
— Demetria pediu, chorou e por fim implorou! Não negaria isso para nenhuma das minhas "filhas" entendeu?
— NÃO, EU NÃO ENTENDI! -Joe disse alterado.
— Oh, céus! -Nick jogou as mãos pro alto e respirou fundo. — Sua mulher vem aqui todos os domingos na missa, acompanhada de um garotinho. Foi assim que nos conhecemos, ela me pediu para atende-la em confissão.

— E o que ela disse?
— Não posso contar.
— Diabos!
— Estamos na igreja, cuidado com o que diz. -Nick repreendeu.
— Desculpe-me. -Joe revirou os olhos. — Conte mais.
— Ela estava muito confusa e me pediu uma série de concelhos. -Joe se sentou e passou uma das mãos pelo cabelo. Nick se sentiu na obrigação de dizer... — Sua mulher te ama.
— Todo mundo me diz isso... menos ela.
— E você diz? -Joe permaneceu em silêncio. — Deixe-me adivinhar, trabalho. Certo?

— Admito, sou culpado! O que mais você quer de mim?
— Ótimo. Eu quero atitude!
— Como assim?
— O que você pretende fazer para mudar essa situação?
— Preciso pensar.
— Você tem duas semanas. -Nick olhou para Joe e sorriu.
— Não me lembro de ter contado piada para você estar ai rindo!
— Não é nada disso é só que... Algo me diz que você vai pensar em algo muito bom.
— Quem te disse isso? Deus?
— Você só precisa ter um pouco de fé, assim você conseguira interpretar os sinais.
cheguei chegando 'O'
take all of me i just wanna be the girl you like
  

#morrida' que isso bey? pode parar de divar na sensualidade! kkkkkk aquele roxo ali no fundo me fez lembrar neon lights, imaginei a demi fazendo isso ae *-* tive umas ideias... (66 isso mesmo que vocês estão pensando' saliências muahahahaha. gostaram do capítulo? eu fiquei um pouquinho desanimada, eu não sei ao certo o motivo :( mas vou fazer o possível para melhorar isso, o.k? respostas aqui e aqui ' beijos e até o próximo. amo muito vocês meus parangels  

22/02/2014

Capítulo 11


          Nathan abraçou Demi fortemente e como costumava fazer girou-a no ar fazendo-a rir descontroladamente. — Pare com isso, estão olhando. -Ele a colocou no chão.
— Dane-se. -Eles riram. — Você esta muito bonita.
— Obrigado, você cresceu menino e esta forte também. -Demi observou. — Andou comendo esteroides?
— Mamãe, eu malho. Não, eu não como esteroides. -Nathan ajeitou as malas da mãe num carrinho e logo eles começaram a atravessar o aeroporto procurando a saída. — Eu não entendi bem seu telefonema, você nunca viaja sozinha.

— Eu preciso de um tempo para mim. Entende?
— Não, eu não entendo. Mamãe, eu sei que esta mentindo. Tem algum problema, não tem?
— Seu pai.
— Já era de se esperar. -Nathan revirou os olhos. — O que ele fez dessa vez?
— Nathan, eu acho que seu pai não me ama mais. -O rapaz brecou o carrinho e encarrou a mãe.


— Como é?!
— Nathan, vamos embora. Eu prometo que no caminho lhe conto tudo.
— O.k, vamos. -Ele suspirou e continuou a caminhar ao lado de Demi.


(...)


          Nathan guiou o carro para o trafego e olhou rapidamente para a mãe. Demi observava a chuva fina cair do lado de fora com certa melancolia. Dias chuvosos traziam tantas lembranças boas, mas... esse não era o melhor momento. — Já pode começar. -Demi respirou fundo e engoliu o choro.
— Acho que tudo começou no meu aniversário de casamento. Se lembra? -Ele assentiu. — Seu pai se esqueceu que era nosso aniversário.

— Caralho!
— Nathan!
— Foi mal. Mas, como isso é possivel?
— Ele me decepcionou e acho que isso me deixou muito abalada. Eu acabei forçando algo e pensei que não me sentiria mais assim tão sozinha. -Demi suspirou. — Comecei a ficar deprimida e... -Nathan freou o carro no farol.

— Depressão? Você esta com depressão?!
— Não, eu não estou.
— Oh droga, eu quero mata-lo agora!
— Não vai matar ninguém, eu estou bem.
— Você o ama muito, não é mesmo?
— Sim, eu o amo. -Nathan suspirou e voltou a dirigir. — Foi por isso que eu vim.
— Não entendi.

— Eu pensei em pedir o divorcio e como não quero me preciptar.... -Nathan interrompeu.
— Entendi e acho que a senhora deveria pensar no Charlie.
— No Charlie?
— Sim, ele é um garoto esperto. -Demi franziu o cenho. — Ele com certeza já deve saber que algo esta errado.
— Eu nem pensei nisso, esta tão preocupada em sair daquela casa que... Meu Deus!


— É bom ir pensando. Eu me sentia muito mal quando vocês brigavam e meu coração ficava partido. Não quero que ele passe por isso, o.k? Não estou dizendo que você é obrigada a ficar com o papai por causa do Charlie, eu só... estou preocupado.
— Eu sei, não se preocupe. -Demi forçou um sorriso. — Vou pensar em tudo. -Nathan assentiu. — E Ariana, como vai? -Demi mudou o rumo da conversa na tentativa de aliviar a tensão.
— Vai bem, ela esta muito linda... Vai se surpreender com o quanto ela mudou. -Nathan sorriu.
— E minha netinha, como vai? Estou ansiosa para vê-la novamente.
— Uma verdadeira tagarela, meu Deus! -Demi riu. — Mãe, ela fala e fala... você vai adora-la. -Nathan sorriu. 


Texas, Dallas - 10h00 a.m


Jonas House

           Demi abriu rapidamente o meu zíper e puxou para baixo minha calça juntamente com a boxer. Ela sentou-se na cama e pegou meu e começou a lhe acariciar.  Gemi e a encarei com malícia. Meu sangue corria fervilhando por minhas veias e meu corpo se estremecia com os movimentos que ela fazia.
― Oh, isso é tão bom. -Gemi rouco. 
― Eu ainda não comecei. -Ela piscou e se agachou levando sua boca ao meu membro. ― Ohhh, Demi. -Gemi ainda mais alto e cerreu os olhos. Ela me olhou, seus olhos brilharam de forma mais intensa. Demi chupava com vontade, desejo e ao mesmo tempo carinho... céus, como eu amo essa mulher. ― Quero você. - Disse afundando a cabeça no travesseiro. — Quero agora!


          So wake me up when it's all over When I'm wiser and I'm older... -Joe levantou-se bruscamente sentindo o suor escorrer de sua testa. Seu corpo tremia, suas pernas formigavam e seu membro estava ereto! Ele respirou fundo e atendeu ao telefone. — Jonas falando. -Ele disse com a voz rouca.

— Oi querido, tudo bem? -Era Demi. Ótimo, seu membro não "recuaria" nunca!
— Eu estou... bem e você?
— Estou bem, ocorreu tudo perfeitamente bem. Agora eu estou quase chegando na casa do Nathan, eu liguei para avisar que cheguei bem.
— Obrigado por ligar.
— De nada. -Ambos silenciaram. — E o Charlie? -Demi quebrou o gelo de segundos atrás.
— Dormiu na Sophie.

— Algum motivo em especial?
— Sophie me implorou, eu não sei dizer não para ela.
— Ah, o.k. -O celular de Joe apitou e isso significava que outra pessoa estava ligando para ele. — Outra ligação?
— Sim.
— Atenda, eu preciso ir.
— Tem certeza?
— Sim, até mais.
— Até mais tarde.

          Joe levantou-se com cuidado e caminhou até o banheiro para dar um jeito em seu amiguinho. Passado alguns minutos ele tomou um banho frio e saiu com uma toalha amarrada na cintura. Novamente o celular tocou e ele atendeu rapidamente. — O que descobriu sobre aquele desgraçado?

— Bom dia para você também.
— Diz logo, porra!
— Esta sentado?
— Estou. -Joe mentiu andando de um lado para o outro.
— Nicholas é padre.
— PADRE?!
— Sim, ele é o novo vigário da igreja que fica a poucos minutos da sua casa e... -Joe desligou o telefone e respirou fundo.

— É hoje que eu mato esse safado! 
We be all night, loveeeeeeeeeeeee  
 

quem ai curte QUEEN B? ah, essa musica não sai da minha cabeça... eu fico dançando o tempo todo. sim, eu danço... é uma coisa vergonhosa, mas de vez em quando é legal.  c:  Oi, oi. tudo bem? eu bem, estudando muito, cansada pra porra... mas bem' ah, esse capítulo foi muito bom! gente... teve um doce sonho ali, esses sonhos são só o aperitivo dos flash back's que eu vou fazer. alguém ai por acaso tem curiosidade de saber onde, quando e como foi a primeira vez deles? ou, como foi a gravidez do nathan? *-* chega de falar kkkk' espero que tenham gostado, eu respondo os comentários do capítulo anterior depois. beijos, abraços... sinto falta de postar todos os dia e... love you all so much' 

20/02/2014

Capítulo 10


          Joseph saiu completamente arrasado do aeroporto, apesar de não ter rolado nada além de "abraços" ele se sentia traído. Estava quase que na cara de que aquele tal Nicholas era mais do que apenas um amigo. Ele poderia muito bem ser um cara novo que estava tentando conquistar Demi. — Eu sou um corno miserável.

— Fique calmo, esse estresse pode fazer mal. -Wilmer alertou.
— Vá se ferrar! -Joe soluçou. — Eu vou ligar para ela e ela vai voltar para me explicar essa porra toda! -Ele sacou o celular, mas Wilmer interviu e tomou o aparelho da mão de Joe.
— Nada disso, precisamos analisar os fatos. Se você ligar agora e falar tudo, você vai magoa-la.

— Eu estou magoado! Ela o abraçou com vontade, sorriu de verdade para ele.... Eu não preciso vê-los na cama para saber que sou corno.
— Cara, fica calmo. -Zac olhou rapidamente para trás. — Você esta sendo imaturo. Procure analisar os fatos, o.k? Demi não iria te trair e sabe qual o motivo?
— Qual?
— Amor. Essa mulher já passou por cada uma ao seu lado, se fosse outra já não estaria com você. Se lembra da vasectomia?

Anos Atrás

— De nada me vale suas palavras! Estou cansada de ouvir esse teu papo mole.
— Papo mole? Tudo o que disse das ultimas vezes não... Valem nada? -Joe disse incrédulo.
— Não. -Demi disse com a voz embargada. — Você destruiu meu sonho, eu odeio você! -Ela começou a chorar em meio ao escritório, Joe se aproximou. — Eu te amava e tudo o que fez foi me quebrar!
— Eu já disse que sinto muito... Eu vou reverter isso, amor.

— NÃO SOU MAIS SEU AMOR! -Demi o encheu de tapas e socos enquanto gritava!
— Demi pare com isso! -Joe se defendeu com os braços.
— Eu odeio você! -Um soco certeiro acertou em cheio o nariz de Joe, Demi gemeu sentindo sua mão pulsar e doer. Ele levantou a cabeça para encarra-la, seu nariz doía, sangrava e latejava fortemente. Demi ficou com uma expressão surpresa e triste ao mesmo tempo, ela queria dizer o quanto sentia muito, mas ela ainda sentia raiva... As palavras não saiam e a unica coisa que disse por fim foi: — Você é um canalha, não muito diferente do seu pai!

xx

— Eu sinto muito. -Disseram em uníssono.
— Eu fui um idiota. -Demi colocou seu dedo indicador em seus lábios.
— Não, não foi. -Ela sussurrou. — Eu ouvi tudo, cada palavra sua. -Joe sentiu os dedos dela acariciarem sua bochecha. — Eu quem fui uma idiota, disse coisas horríveis e desloquei seu nariz. -Ela balançou a cabeça. — Sinto muito de verdade, peço que você me perdoe.
— Mas eu quem fiz uma vasectomia. -Joe a lembrou.
— Eu acredito em você! Tudo o que você me disse sobre o bebê... -Demi sorriu largamente.

**

Miller's House

          Charlie estava preocupado com a demora de Joe, ele se sentou no balanço da varanda ao lado de Sophie e suspirou. — Eu estou preocupado.
— Vai ficar tudo bem, tem muito transito. -Sophie segurou sua mão. — Você poderia dormir aqui hoje.
— Eu não vou conseguir dormir com o meu pai por ai.
— Depois que ele chegar, eu peço para ele.
— Eu não sei não. Minha mamãe viajou hoje e quero ter certeza de que ele vai ficar bem.
— O.k. -Sophie cruzou os braços e encarrou o nada.
— Não fique assim. -Charlie colocou seu braço em volta dos ombros dela.

— Assim como?
— Brava.
— Eu não estou brava!
— Chateada, então?
— Talvez. -Ela fez bico.
— Eu prometo dormir aqui algum dia, esta bom pra você? -Ela sorriu.
— Esta. -Eles se abraçaram.

— Que fofo vocês dois. -Danielle sorriu e os dois se separaram levemente corados.
— Eu sei, você sempre diz isso. -Eles disseram em uníssono.
— Tia, meu pai já ligou?
— Sim, ligou agora. Disse que já esta chegando e que se você quiser dormir aqui, esta tudo bem.
— Yes! -Sophie comemorou. — Eu vou arrumar a outra cama. -Ela saiu correndo.
— Tudo bem. -Ele assentiu entristecido. Danielle se sentou ao seu lado e acariciou seus cabelos.

— Algum problema?
— Minha mãe viajou e eu acho que ela e meu papai brigaram.
— Não fique assim, eles vão se resolver.
— Eu não sei, parece ser sério. Meu papai saiu de casa muito estranho, parecia até que ele ia chorar. -Charlie deu de ombros. — Ele é do tipo "durão" e provavelmente me mandou dormir aqui para não chorar na minha frente.
— Tenho certeza de que ele vai ficar bem, não se preocupe. -Danielle sorriu. — Agora vá dormir, esta tarde. O.k?
— O.k, obrigado tia.
— De nada, boa noite.

ooie, tudo bem?
eu estou bem e preciso ir agora fazer os meus 5 trabalhos escolares :(
espero que tenham gostado do capítulo, esta pequeno e desde já peço desculpas.
bjoooooos'

19/02/2014

Selinho

estou finalizando o capítulo, ele sai amanhã sem falta'


amei esse selinho, sério *-* 
os agradecimentos vão para: Maria Isabel. obrigado por este mimo, sua linda <3

"Seu blog me faz brilhar como uma luz de neon"
Repasse para 3 blogs que fazem você brilhar com uma luz de neon


Responda:

1 - O que te motivou a começar a escrever?

livros, filmes, musica... principalmente > essa musica <.

2 - Quando você pensou: "Vou fazer um blog de fic's"?

quando meu word estava cheio de fanfic's e então eu pensei "ah, vamos ver no que vai dar. " e agora aqui estou eu. no começo foi meio que uma brincadeira, um passatempo de uma pessoa que não tinha o que fazer... mas acabou se tornando parte de mim, algo realmente importante.

3 - Se acha um (a)  bom (a) escritor (a)?

não. "nossa mais... como assim?" boa eu ainda não sou, acredito que tenho muito a aprender.

4 - Qual seu livro favorito?

"o casamento" por Nicholas Sparks

5 - O que você enfrentou até seu blog se tornar um blog de sucesso? Tem alguma dica pra quem está começando?

eu enfrentei aquela fase em que tinha seguidores, mas ninguém comentava... uma pessoa dizia que estava bom, mas na verdade não estava. eu estive lendo a primeira fic que escrevi na vida e percebi que ela era totalmente sem sentido e que tbm entediante. depois de excluir meu primeiro blog e tals... eu criei minha segunda fanfic que foi postada nesse blog em 2012, a partir dai tudo deu certo pra mim... a cada dia que passava meu blog crescia mais e mais. para quem esta começando agora... eu só peço que vocês acreditem no talento de vocês e façam proveito disso. ter um blog é algo incrível e muito gratificante.  

respostas

17/02/2014

Capítulo 9



11h30 p.m

          Charlie se jogou nos braços de Demi lhe abraçando fortemente com um sorriso nos lábios. – Aproveite essas duas semanas.
– Eu vou aproveitar.
– Quando você voltar... eu nunca mais vou deixa-la viajar sozinha de novo. -Demi riu. – Eu te amo.
– Eu também amo você. -Ela partiu o abraço. – Cuide-se e obedeça seu pai.
– Papai, você sabe fazer comida? -Joe riu.
– É claro que sim, sua mãe me ensinou.
– O.k, só foi para garantir que eu não vou morrer de fome.
– Obrigado pela parte que me toca.

– Eu te amo papai, mas a comida da mamãe é muito gostosa. -Demi balançou a cabeça rindo. – Agora essa é a parte que eu saio e vocês se beijam. Certo? Certo, então eu vou pro meu quarto. Cuide-se mamãe e volte logo pra gente. -Charlie piscou e subiu as escadas correndo. Demi voltou seu olhar para Joe e de repente todo seu "discurso" ensaiada foi por água a baixo e ela não sabia o que dizer.
– Não precisa me dizer palavras bonitas, esta tudo bem. -Ela suspirou.
– Eu nunca fiz isso, estou um pouco nervosa.
– Tem certeza de que prefere ir sozinha? Eu posso te levar.
– Eu tenho... certeza. -Ela disse com a voz falha e os olhos brilhantes por causa das lágrimas.
– Shhh... esta tudo bem. -Joe envolveu os braços em volta dela.

Se você dissesse o quanto eu sou importante para você... eu desistiria de tudo agora!

– Eu preciso ir. -Demi forçou um sorriso. – Só me prometa que se alguma coisa acontecer você vai ligar.
– Eu prometo.
– Cuide-se e cuide do Charlie.
– Eu prometo manter meus preservativos longe dele. -Demi riu.
– Seu bobo! Não me faça rir quando eu estou tentando ser uma mãe durona.
– Mais alguma recomendação?
– Não. -Demi sussurrou.
– ACHO QUE VOCÊS JÁ PODEM SE BEIJAR!

– CHARLIE! -Eles o repreenderam juntos.
– Já sei, já sei... estou voltando! -O garoto resmungou. Joe olhou para as escadas e em seguida se voltou para Demi.
– Eu vou sentir a sua falta. -Ele lhe deu um selinho.
– Eu também vou. -Demi o beijou rapidamente e se afastou ao ouvir o som da buzina. – É o meu táxi.
– Vamos, eu ajudo você a carregar suas malas.
– Obrigado. -Demi pegou uma bagagem de mão e as outras Joe carregou até o carro. Assim que ele fechou o porta malas Demi se aproximou e o abraçou. – Cuide-se. -Ela disse novamente.
– Digo o mesmo para você. -Joe forçou-se a sorrir. – Só mais uma coisa. -Demi assentiu. – Para onde você vai?

– Eu vou visitar nosso filho.
– Mande um abraço para ele, Ariana e Chloe.
– Eu mandarei. -Demi abriu a porta do táxi.
– Até mais, querida.
– Até mais. -Demi adentrou no táxi e bateu a porta.
– Eu amo você. -Joe sussurrou enquanto observava o carro se afastar. Ele mordeu os lábios e voltou para casa. O telefone tocou, Joe suspirou e atendeu.

– Demetria é o Nicholas. Já saiu de casa? Eu estou aqui na esquina te esperando.... -Ele bateu o telefone com força no carregador e pegou as chaves do carro no balcão.
– CHARLIE!
– O que foi papai?
– Preciso sair, você vai para a casa da Sophie.
– Por que?
– Eu não posso explicar agora, venha. -Joe segurou a mão do filho e juntos eles saíram.

          Assim que Charlie adentrou na casa de Sophie, Joe arrancou com o carro a toda velocidade. Ele não podia acreditar que Demi tinha outro.... ele se recusava a acreditar nisso! Suas mãos tremiam de nervoso e as lágrimas saiam de forma descontrolada. Ele estava se sentindo vulnerável.

(...)

– Era ele?
– Sim, ele mesmo.
– Joe continuou olhando para a carro depois que ele arrancou.
– E o que isso significa?
– Ele esta procurando onde errou, eu disse que seria bom dar um tempo. Não disse?
– Você estava certo, mas esta sendo difícil.
– Se ele tivesse dito as três palavras... eu teria desistido de tudo.
– Ele não disse?

– Eu estou nesse carro, certo?
– Entendo. -Nick coçou o queixo. – Demi, você atendeu ao telefone antes de sair? -Ele disse em duvida.
– Não, você ligou?
– Liguei e alguém atendeu.
– Ai meu Deus!
– Acalme-se, chegamos. O.k?
– O k, vamos. A ultima coisa que eu quero é que Joe pense que você é meu amante.

(...)

          Joe correu meio mundo dentro do aeroporto procurando por Demetria. Sua visão ainda estava embaçada, seu coração batia apertado e angustiado. Quando ele se cansou, Joe se jogou num assento qualquer e encarrou o portão de embarque a alguns metros dele. Então aconteceu, o que ele menos queria ver aconteceu... Demi estava de frente para outro homem chorando aparentemente emocionada. Ela também sorria! Eles se abraçaram fortemente, Nick beijou a testa de Demi e em seguida ambas as mãos.

– Eu tenho certeza de que Deus lhe dará um sinal, apenas preste atenção. O.k?
– Eu nem sei como agradecer. -Nick sorriu.
– Pode me dar outro abraço e dizer "obrigado". -Demi o abraçou novamente.
– Nos vemos em breve.
– Com certeza, assim que eu voltar. Obrigado. -A chamada para o voo com destino a Londres ecoou pelo aeroporto, Demi olhou uma ultima vez para Nick e então embarcou. O rapaz sorriu e então saiu em meio a multidão de outras pessoas que também deixaram ali seus parentes. Joe ainda estava em estado de choque, com a mão tremula ele discou o numero 1 na discagem rápida.

– Wilmer Rivera.
– Wilmer, eu preciso de um favor.
– Claro gato, o que você quer?
– Venha de táxi até o aeroporto, eu não estou em condições de dirigir. -Joe soluçou.
– Cara, você esta chorando?
– Eu estou morrendo!

– Calma, eu já estou chegando. Eu e Zac vamos te buscar.
– Zac?
– O gato do seu amigo veio aqui me pedir concelhos. Vou começar a cobrar por isso.
– Vem logo, porra!
– Estou indo, fique calmo.

essa é a parte que vocês me matam por causa do suspense, certo? certo' kkkk
passando rapidinho aqui para postar esse capítulo para vocês, eu particularmente gostei dele. nesse dia eu consegui escrever na madrugada u-u então... ficou bom de acordo comigo, agora quero saber a opinião de vcs' não deu tempo de responder os comentários, mas eu vou responder! :) bjos'

15/02/2014

Capítulo 8



Alguns Dias Depois 
Jonas House 16h45 p.m

          Demi espalhou roupas por toda sua cama e colocou as malas no chão. Em meio a "piscina" de roupas Charlie ajudava a mãe a escolher as melhores roupas para sua viagem. – Ah, eu queria ir. -O garoto resmungou e cruzou os braços.
– É algo rápido bebê, eu não vou demorar.
– Mas sempre viajamos juntos.
– Não é uma viagem de férias, eu preciso pensar em algumas coisas.
– O.k, se você acha que é o melhor a ser feito.
– Vai ser melhor, obrigado por ser compreensivo. -Demi beijou a bochecha de Charlie e sorriu. – Já disse que você é o melhor filho do mundo?

– Acabou de dizer. -Ele sorriu e corou. – Diz de novo, diz? -Os olhinhos de Charlie brilharam.
– Você é o melhor filho do mundo.
– Eu sei, eu sei... obrigado. -Charlie fez uma careta engraçada e Demi caiu na gargalhada.
– Convencido!
– Se você me elogia quem sou eu para discordar. -Ele deu de ombros.
– O.k, vamos terminar logo com isso. -Demi se agachou para pegar algumas roupas.


(...)

– O que é isso? -Charlie mostrou pequeno pacotinho prateado com alguns detalhes em vermelho, Demi corou terrivelmente. – Camisa... camisinha?
– É um... remédio do papai. -Demi pegou o pacotinho da mão dele e sorriu de forma nervosa.
– Mais é grande demais para se engolir, como ele toma isso? -O garoto franziu o cenho.
– É uma comprimido grande que depois encolhe por causa da saliva.
– Que legal, posso provar?
– Não!
– Na embalagem diz: sabor morango. Não deve ser tão ruim, deixa? -Demi não aguentou e começou a gargalhar histericamente. – O que foi? Para de rir... parece até uma hiena. -Ela caiu em meio as roupas e riu ainda mais. Depois que Demi se recuperou eles seguiram arrumando as roupas nas malas, nesse meio tempo Charlie ligou o som no volume médio e começou a xeretar as roupas da mãe.


18h00 p.m


          Joseph pendurou seu casaco perto da porta e esticou seus braços para cima alongando-se. Ele caminhou até a sala e se jogou no sofá. Seus olhos vagaram pela sala e por um minuto seu coração parou. Três malas estavam num canto com mais alguns objetos de Demi, ele levantou-se bruscamente e correu até seu quarto. Demi estava sentada em frente a penteadeira com uma escova em mãos, quando seus olhos encontraram os de Joe no espelho seu coração apertou fortemente. – Você vai embora? -Demi riu baixinho. – Responde, por favor. -Ele disse com a voz aparentemente embargada.

– Não, eu não vou embora.
– Como você me explica aquelas malas?! -Ele se alterou.
– Sente-se e se acalme. -Ela disse calmamente e ele obedeceu.
– Vou ficar fora por duas semanas apenas.
– Por que?

– Eu preciso de um tempo para mim, só isso. -Joe passou uma das mãos pelos cabelos.
– Como você espera que eu acredite nisso? -Ele fechou os olhos e suspirou. Demi levantou-se e caminhou até ele sentando-se em seu colo. – Diz pra mim. -Ele sussurrou baixinho.
– Entenda, eu só vou descansar. -Ela acariciou a bochecha de Joe com seu polegar até ele abrir os olhos. – Não vou deixa-lo, o.k? Você sabe disso, não sabe?
– Sei... -Demi o abraçou forte inalando seu perfume. Ele acariciou as costas de Demi e respirou fundo antes de dizer qualquer coisa.

– Fique fora o tempo que achar necessário. -Doeu, mas ele precisava dizer isso.
– Duas semanas. -Ela afirmou novamente. – Charlie também protestou, mas acabou aceitando.
– Ele é um bom garoto.
– Outra coisa também... -Joe a olhou nos olhos. – Tome cuidado com seus preservativos.
– Meus... preservativos? -Ele franziu o cenho.
– Você deixou um deles no meu closet e sem querer o Charlie achou. -Demi explicou brincando com os cabelos dele entre seus dedos.
– Oh, sinto muito por isso... mas naquele dia eu não tive tempo de guardar e você sabe bem disso. -Demi ficou terrivelmente corada e Joe arqueou uma sobrancelha. – O que você disse que era?

– Não vou dizer, você vai rir.
– Eu sou o pai, mereço saber.
– O.k. -Ela mordeu os lábios de forma natural e Joe começou a sentir algo lá em baixo dar alguns sinais de vida... céus! – Eu disse que era um remédio seu. -Joe assentiu. – E então ele me perguntou assim: mas é grande, como ele engole? -Joe riu e apertou de leve a coxa de Demi. – Eu disse que encolhia com a saliva.
– Minha, ou sua? -Demi corou. – O que foi? É apenas uma pergunta.
– Sua saliva. -Demi não podia negar que estava excitada. – Ai... -Ela riu. – Ele me pediu assim: mamãe, posso provar? -Joe riu.
– O que você respondeu?
– Não! Então... -Demi riu um pouco mais. – ele disse que na embalagem estava escrito "sabor morango". -Joe não riu, muito pelo contrario ele puxou Demi para um beijo, seus lábios se chocaram e imediatamente suas línguas se enroscaram de forma desesperada. Ele deu um jeitinho de ficar entre as pernas dela acariciando suas coxas desnudas. Demi puxou seus cabelos e o ouviu gemer baixo entre o beijo.
– Eu preciso de você. -Joe começou a beijar, chupar e morder de leve o pescoço de Demi enquanto ela lutava com os botões de sua camisa. Aos poucos Demi lembrou-se do começo da conversa, o motivo pelo qual ela viajaria... por mais que ela o quisesse agora algo dentro dela gritava: Não, não... não!

– Joe, pare. -Ela disse baixinho. – Por favor, eu não posso fazer isso. -Ele se ergueu para olha-la.
– Qual o problema?
– Não tem problema, sou eu... eu não posso, me desculpe. -Ele ficou por breves segundos olhando Demi nos olhos.
– Esta tudo bem. -Joe murmurou. Não estava nada bem e ela sabia disso. A porta foi aberta fazendo-os se voltarem em direção a ela. Charlie segurava o telefone com as bochechas levemente coradas.

– Eu não queria interromper, desculpa.
– Esta tudo bem. -Eles disseram em uníssono.
– Mamãe, telefone para você.
– Quem é?
– É um tal de Nicholas. -Demi empalideceu-se com o olhar indecifrável de Joe sobre ela, de repente o peso do corpo dele despencou sobre ela fazendo-a gemer! Em seguida ele arrastou seu corpo para fora da cama e entrou no banheiro batendo a porta. Com a mão tremula Demi segurou o telefone perto da orelha.

– Alô.
– Demetria, como vai?
– Bem e você?
– Estou bem, eu liguei para confirmar esta noite.
– Tem certeza de que pode me levar até lá?
– Tenho, claro. -Demi suspirou aliviada.
– Se ele estivesse lá.... eu com certeza desistiria.
– Eu compreendo, pense que é por uma boa causa e que vai dar tudo certo. O.k?
– O.k.
– Fique bem.
– Eu vou ficar.
– Nos vemos mais tarde.
– Até mais tarde.


(...)

          Joseph saiu do banheiro sem dizer uma palavra, sua vontade era de explodir e falar até que ela dissesse toda a verdade. Demi ainda deitada na cama o observou vagar pelo quarto com uma cara nada boa, ela suspirou. – O que você quer perguntar?
– Quem é Nicholas? -Ele fechou as portas do guarda roupa numa batida estrondosa.
– Um amigo.
– Amigo?
– Sim, amigo.

– O.k, que horas devo leva-la ao aeroporto? -Joe mudou de assunto tentando novamente se manter calmo.
– Você não vai me levar ao aeroporto.
– O que?!
– Eu vou sozinha.
– Você esta muito estranha.
– Se você estiver lá... eu vou desistir. -Joe suspirou. – Eu não quero desistir, mas com certeza o faria se você estivesse lá ainda por cima com Charlie. Entende? -Joe mordeu os lábios e a encarou por alguns segundos.
– Entendo. -Ele se forçou a dizer. – Entendo perfeitamente.
não foi dos melhores, mas prometo melhorar'
olá meus anjos, como estão? eu estou bem' a parte do preservativo foi ilaria kkkkkkkkk o Charlie como sempre esbanjando inocência *-* foi fofo, muito fofo... mas não aliviou o clima tenso "chove não molha" daqueles dois. os hot shippers vão ter de esperar mais um pouquinho para um capítulo hot completo. mas até lá eu vou colocar alguns flash back's bem quentes. SPOILER: a partir de amanhã, talvez... o Joe vai se tocar das mancadas dele' e é ai que começa de verdade a operação reconciliação' respostas aqui aqui e aqui. p.s: obrigado pelos comentários do post anterior, vocês são uns amores.... meus amores! obrigado pela compreensão <3 

 

13/02/2014

Aviso mega importante!

eu sei que esses avisos estão enchendo a paciência, mas por favor leiam'


falando sério, eu sei que estão chateados comigo' até eu estou chateada comigo. mas o que acontece é que como muitos de vocês já sabem eu andei meio adoentada e isso me atrasou bastante no quesito escrever capítulos... outra coisa também e o bloqueio. dizem que todo escritor tem um tipo de ritual antes de escrever, o meu era escrever de noite... de madrugada para ser mais exata. as vezes o relógio marcava 01h00 da manhã e elá estava eu escrevendo fanfic no celular. mas agora tudo mudou e de uma forma para lá de radical, eu estou dividindo o quarto com uma pessoa... então lá se vai ritual e inspiração :( o meu tempo na parte da manhã não tem possibilidade alguma de escrever, digo... eu estou atarefada com um curso que me deixa completamente exausta. todos os dias eu chego correndo e fico ouvindo musicas, lendo o livro no qual eu estou me inspirando para essa temporada e tento fazer dar certo. ontem mesmo eu fiquei jogada na cama com o celular na mão durante uma hora sem largar ele para nada, apenas escrevendo... cheguei atrasada na escola, mas consegui escrever e postar ontem. só quero dizer que não vai dar para postar todos os dias como antes. "ah, mas isso te diferenciava das outras escritoras." sim, eu fazia isso por que tinha tempo de sobra... mas entendam bem, isso não significa que eu vou passar uma semana sem atualizar o blog! ai já seria uma puta falta de sacanagem com vocês, o máximo é um dia sim e um não para aliviar um pouco a tensão. vou ter muita provas para fazer daqui um mês e meio e desde já preciso estudar muito... então, eu realmente quero saber se vocês estão de acordo com isso. juro que se vocês tiverem paciência eu vou fazer isso dar certo' se quiserem dizer alguma coisa é só comentar a respeito ai embaixo, eu não vou matar ninguém... me desculpem, o.k? eu amo vocês e só peço mais uma vez que me compreendam. para quem ainda não leu o capítulo 7: aqui. ainda não respondi os comentários pq minha internet esta muito ruim :c beijos'