Eu nunca pensei que esse dia fosse chegar, mas ele chegou e sinto que preciso fazer isso. Não foi uma decisão fácil, fiquei tentando adiar o máximo possível, mas infelizmente não consegui. Começo pedindo desculpas por fazer isso sem aviso prévio, não era minha intenção, mas simplesmente não consigo! O bloqueio não vai embora e não é um bloqueio qualquer, estou passando por alguns problemas e estou em conflito comigo mesma. Sou uma garota de 19 anos e não faço ideia do que fazer da minha vida, nada acontece e por mais que eu tente, sempre acaba do mesmo jeito. No meio disso tudo surgem as cobranças das pessoas e por mais que elas tentem disfarçar, estão dizendo: "Garota, faça alguma coisa da sua vida!" Eu também me cobro, estou cansada de sentir como se estivesse fadada ao fracasso. Cansada de pensar na minha vida e sentir que tudo é uma grande conspiração para que eu quebre minha cara de novo e de novo. Cansada de decepcionar as pessoas! Eu não posso e nem quero decepcionar ninguém, por isso estou me afastando. Não quero que pensem que não me importo, eu me importo, mas não estou conseguindo escrever e eu amo fazer isso, amo mais do que qualquer outra coisa no mundo! Não quero fazer nada de qualquer jeito, nada menos do que perfeito, vocês merecem algo realmente bom. Quero que saibam que não é um hiatus permanente, vou tirar esse tempinho para estudar e correr atrás de algo para o futuro. Voltarei assim que for capaz de escrever algo novamente, quando sentir que esse fardo está menos pesado e... Acho que é isso, me desejem sorte! Amo muito vocês e arrisco dizer que já sinto saudade. Com amor, Jéssie.

29/04/2014

Capítulo 34

esta pequeno e eu estou fodidamente zangada comigo! #bloqueio


          Charlie entrou correndo no quarto e pulou em cima do pai. Joseph abraçou o filho fortemente, beijou sua testa algumas vezes e sorriu para ele em seguida.  Esta tudo bem, eu estou bem.
 Eu pensei que você tinha morrido. - O garoto piscou algumas vezes  Você vai ficar bom logo?
 Estou com esses pontos aqui, mas é suportável. - Demi apareceu e Joe olhou para ela.

 Ah, você não morreu? Pode deixar que agora eu te mato! - Ela fechou a porta e marchou até ele  Nunca mais saia sem me avisar, entendeu? Eu pedi para morrer... quase morri! - Demi fechou os olhos contendo suas lágrimas  Se você morresse... eu ficaria perdida pro resto da vida, tem noção de como foi assustador?
 Vem aqui, por favor. - Ela deu alguns passos e se sentou de frente com o marido. Joe segurou o queixo dela e se inclinou lhe dando um beijo. Charlie saiu de forma sorrateira dos braços do pai, se sentou na cadeira ao lado e ficou apenas observando. "O amor as vezes precisa ser demonstrado, fazer o que?" Demi o abraçou forte e respirou fundo.  Amor' fique calma, eu estou aqui e estou bem.

 Eu sei, mas senti... senti ontem que algo estava errado' foi como um pressentimento.
 Você poderia ter me contado.
 Eu não queria assustar o Charlie. - Demi sorriu fraco para o filho.
 De qualquer forma foi um acidente, ninguém tem culpa.
 Quando você vai tirar esses pontos?
 Em alguns dias já vai estar bem melhor.
 Até o casamento?
 Talvez sim, mas o que importa é que vou estar lá pra você.

 Vocês querem ficar sozinhos? Eu posso sair e voltar depois. Sou criança, mas sei quando um casal precisa de privacidade. - O garoto assentiu.
 Onde você aprende essas coisas?
 Nos livros, ué. - Charlie faz careta como se fosse óbvio.  Eu vou sair, o.k? Amo vocês. - Ele piscou para Joe e sorriu para Demi antes de sair.

 Eu não sei o que vamos fazer com esse garoto. - Ela riu baixinho.
 Eu tenho uma ideia e acho que você vai gostar dela.
 Tem? - Demi franziu o cenho.
 Estava pensando em atender ao pedido do nosso filho.
 Esta falando sobre um bebê?
 Sim, eu tive um sonho com isso ontem e estava pensando nisso quando o martelo me atingiu.

 Você acha que eu não estou velha demais? Quando nossa filha ter uns... 5 anos, eu vou ter 46 anos, ou até mais idade' fora que as chances de engravidar depois dos 40 são pequenas.
 Se você não quer é só dizer que eu vou entender. - Joe beijou as costas de sua mão.
 Eu quero. - Demi sussurrou.
 Sim, eu tenho certeza que estamos prontos' não tenha duvidas quanto a isso.
 Então, você esta mesmo disposto?
 Sim, eu quero muito isso e você sabe, não sabe?

Anos Atrás

 Outro?
 Sim, outro.
 Eu não sei, não pensei nisso. Você quer mais filhos?
 A ideia me excita. - Demi arqueou uma sobrancelha.  No bom sentido, claro. - Demi riu e ficou olhando para ele.

...

 Você pensou em tudo isso numa noite?
 Eu só pensava em você o tempo todo e em como poderia me redimir.
 Oh. -Demi suspirou sentindo uma brisa leve bater em sua pele molhada, Joe a puxou para mais perto. Olhando nos olhos dele Demi começou a chorar emocionada com toda a conversa, ele era incrível!
 Ei, não faz assim. - Joe segurou seu rosto entre as mãos.  O que foi? -Demi balançou a cabeça. Diga-me.


 Você esta muito diferente, o "antigo Joe" não diria isso.
 Eu não mudei, só aprendi com os meus erros.  - Joe se inclinou para beija-la, os lábios de Demi estavam trêmulos e com gostinho de lágrimas, ele acariciou suas costas nuas sem malicia enquanto sua língua viajava na boca dela.


**

 Eu sei e como sei. - Ela mordeu os lábios e sorriu acariciando o peito do marido.
 Isso é um sim?
 Sim, talvez... quem sabe? - Demi se fez de pensativa e Joe riu  Qual é a graça?
 Quando estivermos na cama... você vai repensar nessa resposta e vai me dar certeza.
 Você não presta, nem levando martelada deixa de ser safado.

 Você por acaso já se olhou no espelho, Sra. Jonas?
 O que tem? - Ela franziu o cenho.
 Você é muito linda, né? Não tem como ignorar isso.
 Seu idiota.
 Idiota que você ama, certo?
 Sim, amo e muito.

--

passando rápido para deixar esse pequeno capítulo' peço que não fiquem bravas comigo... eu meio que fiz tudo na pressa para postar pq não gosto de ficar dias fora :( até pq eu fiquei um bom tempo sem postar quando estava doente e agora é hora de compensar' bloqueio é foda! enfim, eles vão tentar ter um bebê o/ uhuuuuuul. espero que tenham gostado *-* respostas dos comentários só no próximo capítulo <3 bjos e até o próximo. 

27/04/2014

Capítulo 33


04h00

Um grito ensurdecedor acordou todos na casa.
          Joseph saltou da cama e saiu correndo, Demi foi atrás assim como todos os outros. Charlie estava gritando, chorando e fazendo gestos estranhos. Joe segurou o filho pelos ombros enquanto todos os outros olhavam assustados.  Respira fundo e mantenha a calma. - O garoto soluçou  Esta tudo bem, eu estou aqui. - Ele o abraçou.
 Foi um pesadelo pessoal. - Demi anunciou  Voltem para a cama.
 Tem certeza? - Denise olhou o neto preocupada  Posso preparar um lanchinho.
 Mãe, esta tudo bem' qualquer coisa eu chamo, podemos cuidar disso. - Alguns resmungaram.

 Pelo amor de Deus! - Zac jogou as mãos ao alto  Faz esse bebê parar de chorar.
 Isso é jeito de falar? - Ariana exclamou balançando a filha levemente na tentativa de acalma-la.
 Ei, ei' seu bruto, pare de agir assim! - Wilmer lhe deu um tapa no braço  Ariana, querida... vamos lá, ele esta bravinho por que não comeu ninguém. - Wilmer sorriu de forma vingativa e saiu com Ariana.

 Você ouviu isso? - Zac cruzou os braços e encarrou Naya.
 Nem olhe pra mim, você é um idiota.
 Deem o fora, o.k?! - Joe disse alterado.
 Joseph, eu sou a madrinha dele' se esqueceu disso?
 Naya, por favor. - Demi coçou os olhos.
 Tá bom. - Ela respirou fundo, se aproximou e deu um beijo na testa de Charlie  Pesadelos não podem te machucar, bebê... vai ficar tudo bem. - Naya sorriu  Cuidem bem do meu garoto. - Ela saiu e Zac a seguiu com os outros sem dizer nada.

          Demi fechou a porta e voltou sentando-se do lado de Joe.

 Charlie, você quer nos contar sobre seu pesadelo?
 Não, eu estou com medo. - Charlie se agarrou ao pai.
 O.k, agora eu estou ficando fodidamente preocupado.
 Joseph, olha essa boca! - Demi resmungou baixinho.

 Papai, você vai morrer?
 Todos vamos morrer um dia, mas nesse momento eu estou ótimo. Então, isso vai demorar muito para acontecer. - Joe lhe acariciou os cabelos  Por que?
 Eu sonhei que você morria, foi assustador. - Charlie sussurrou.
 O "papai" aqui esta bem, não tem com que se preocupar. - Demi acariciou os cabelos do filho.
 Eu vou viver muito para ver você pegando mulher. - Joe sorriu e Demi lhe deu uma cotovelada  Ai!
 Ora, seu... Charlie, seu pai quis dizer que vai viver o suficiente para vê-lo se apaixonar por uma garota especial.

 Isso dá muito tempo, não é mesmo? - Ele esfregou os olhos.
 Sim, muito tempo.
 Desculpa. - Charlie respirou fundo.
 Querido, esta tudo bem.
 Eu sei como é ter pesadelos assim, mas te garanto que vai passar' não pense muito nisso, o.k?
 Eu vou tentar.

 É o meu garoto. - Joe sorriu e olhou para Demi que brincava com dedos do filho. Ela estava sentindo um estranho aperto no peito e tentava ignora-lo  Demi?
 Eu... me desculpem. - Ela sorriu sem graça  Tentar é um bom começo.
 Tudo bem, mamãe?
 Sim, tudo bem.
 Eu posso pedir uma coisa pra vocês?
 Claro. - Joe bagunçou os cabelos do garoto.
 Posso dormir com vocês? - Charlie escondeu o rosto entre as mãos, ele sentia vergonha.
 Ei, não precisa ter vergonha.
 Isso é um sim?
 Sim.

          A cama de Charlie era pequena, então o casal levou o garoto para o quarto deles. Demi deitou-se e colocou o filho entre ela e Joe.  Melhor?
 Sim, muito melhor agora.
 O.k, agora vamos tentar dormir.
 Eu não estou com tanto sono.
 Eu também. - Demi completou, ela de fato estava se sentindo "estranha".
 Somos três, então. - Joe respirou fundo.

          Um breve silêncio se instalou entre eles. Charlie espremeu os olhos esforçando-se para lembrar de algo e então se virou para a mãe tocando sua barriga.  Sei que foge completamente do assunto, mas... - O garotinho deu de ombros  Tem um bebê aqui?
 Você acha que tem um bebê aqui?
 É que... algum tempo atrás eu ouvi você dizendo que sentia falta de cuidar de um bebê e agora que estamos aqui eu não tenho com quem brincar... sinto saudade da Sophie, mas queria alguém em tempo "integral." - Joe riu histericamente e Demi sorriu.

 Eu não tenho um bebê na minha barriga, sinto muito.
 Esta tudo bem, mas você podia' não é mesmo?
 Charlie, não é algo tão simples.
 Depende. - Joe olhou para a esposa com um sorriso largo nos lábios.
 Não entendi. - O garoto fez careta  Esquece.
 Eu vou conversar com sua mãe, o.k? - Joe sussurrou baixinho no ouvido de Charlie, Demi ficou intrigada.

 Ei, o que foi isso?
 Coisa de homem. - Ele deu de ombros justificando-se.
 Sei. - Demi revirou os olhos.
 Eu quero uma irmãzinha. - O garotinho sussurrou no ouvido do pai e sorriu em seguida.
 Pode deixar, vou ver o que posso fazer com isso. - Demi bufou e Joe mandou um beijo no ar para ela seguido de uma piscadela.
— Você não presta, Jonas! - Eles riram. 

Dia Seguinte

          Demi acordou ouvindo um volume alterado de conversa e logo se levantou. Ela fez sua higiene matinal como de costume, trocou de roupas e desceu para tomar café. Charlie estava sentado dando mamadeira a Chloe, Denise preparava panquecas e conversava com Carter.  Bom dia. - Ela coçou a cabeça e olhou em volta.
 Bom dia, querida. - Denise sorriu.
 Bom dia, tudo bem? - Carter também sorriu.
 Estou bem, eu acho. Onde estão os outros?
 Naya foi até a cidade com Ariana e Kathleen buscar nossos vestidos, Joe e os outros foram visitar o casarão.
 Eu queria tanto ir lá, ele bem que podia ter me esperado.
 Ele estava ansioso, disse que estavam para terminar algo no telhado.
 Ótimo, agora eu estou curiosa. - Demi dez careta e Charlie riu.

 Vai mata-lo, certo? - O garotinho riu novamente.
 Sim, eu vou mata-lo por fazer isso comigo. - Ela riu.
 Nunca o vi tão emprenhado em algo desde muito tempo' isso parece ser realmente importante para ele.
 Devo concordar. - Carter finalmente se pronunciou novamente  Até pediu minha ajuda com algumas coisas.
 Eu sei, eu sei' mas tem algo que esta me deixando intrigada com tudo isso. - Demi suspirou  Não sei explicar o que é, mas não me parece uma coisa boa. Desde de ontem, estou com uma sensação ruim é meio angustiante.

 Acho que você ficou pensando no meu pesadelo, eu também fiquei assim durante um tempo. -O  garotinho deu de ombros cuidadosamente.
 Pode ser, eu sou meio paranóica com essas coisas. - Demi deu de ombros e começou a se servir. O telefone tocou de imediato e Carter foi atender. Em questão de minutos ele estava de volta, pálido e tremulo.

 Carter, quem era?
 O... O... - Carter começou a fazer uma série de sinais com as mãos, Demi arregalou os olhos e Denise lhe deu um copo com água.
 Pelo amor de Deus, Carter' quem era ao telefone?
 Zac.
 O que aconteceu? - Demi sentiu o coração disparar  É o Joseph, não é? - Carter apenas assentiu  Ai meu Deus, CARTER!
 Ele estava passando e o martelo caiu.

 COMO ASSIM CAIU?! O QUE HOUVE COM ELE?! - Ela estava chorando.
 O martelo caiu na cabeça dele.
 MEU DEUS! - Demi gritou de forma histérica, Denise apenas abraçou a nora.
 Ele esta a caminho do hospital, foi tudo o que Zac me disse. - Carter olhou para Charlie e viu o garoto paralisado na cadeira, Chloe começara a chorar.
 Meu... papai, morreu?
 Demi, por favor' seu filho precisa de você. -Denise partiu o abraço e segurou Demi pelos ombros.

(...)

          Demi adentrou no hospital com Charlie em seus braços, lágrimas insistiam sair de forma descontrolada. Logo atrás dela Denise segurava Chloe com um braço e com o outro apertava tão forte a mão de Carter, mais tão forte que ele sentia dor! Nathan, Zac e Wilmer estavam sentados no banco da emergência. Assim que avistou a mãe Nathan se levantou e a abraçou.  Calma, mãe.
 Nathan, cadê o papai?
 Ele esta lá dentro, estão cuidando dele.
 Já disseram como ele esta? - Demi disparou.
 Não foi nada grave, fique calma.
 Segura seu irmão, eu preciso me sentar. - Ela sentiu as pernas querendo falhar e assim que Nathan pegou Charlie ela se sentou.

 Amor, ele vai ficar bem. - Wilmer segurou a mão dela e sorriu fraco.
 Sua camisa esta suja de sangue.
 É, eu ajudei a socorre-lo. - Demi apenas assentiu.
 Foi assustador. - Zac comentou  Ele me disse tanta coisa.
 Tipo o que?
 Se acontecer alguma coisa... você cuida dela?

          Não demorou muito para as garotas chegarem ao hospital. Todos ficaram ali sentados preocupados em silêncio, vez ou outra eles tentavam puxar assunto com Demi. Ela ainda chorava e até mesmo se culpava.  Se eu tivesse acordado mais cedo isso não teria acontecido e ele não estaria lá, machucado!
 A culpa não foi sua, eu tenho certeza de que ele vai ficar bem. - Naya apertou a mão da amiga fortemente.

 EU QUERO MINHA MULHER AQUI, AGORA!

 Foi ele! - Demi deu um salto na cadeira.
 Calma, você precisa de permissão para entrar.
 Meu marido precisa de mim. - Ela suspirou.
 Pelo amor de Deus, me diz que uma de vocês é "Demetria Jonas".
 Sou eu, doutor. Como ele esta?
 Agitado para alguém que levou uma martelada na cabeça.
 Isso quer dizer que ele esta bem?
 Ele esta bem, mas precisa de cuidados' foi um golpe de sorte, não chore. - Demi sorriu sem mostrar os dentes.

 Mamãe, posso ver o papai?
 Oh, sobre visitas' um, ou dois por vez.
 Venha aqui, vamos ver o papai. - Demi segurou na mãe de Charlie  Eu prometo não demorar. - Ela anunciou aos outros, eles apenas concordaram com a cabeça.

**

ufa' demorou, mais saiu!
boa noite, gente linda... gente gostosa :) como vcs estão? eu estou bem, obrigado. sei que vocês querem me matar por motivos, óbvios... MAAAAAAAS eu prometo fazer uma continuação descente para esse capítulo. eu tive um bloquei bem nessa parte e não consegui escrever nem mais uma linha :( sinto muito. respostas aqui . eu disse que teria fortes emoções, não disse? joe levou uma martelada na cabeça, coitado u.u mas o que me deixou mais surpresa foi o papo do bebê, e ai? será que rola? *-* hj quem me inspirou foi emicida e seu feat perfeito com a pitty <3 espero que tenham gostado do capítulo, tudo estava planejado, mas não sei o que dizer desse capítulo... então, me digam vcs' por favor. bjos'



oi' tudo bem? eu estou passando para avisar que ontem tive um problema com o painel do meu blog pelo computador e não consegui postar :( mas FELIZMENTE já consegui entrar e estou escrevendo o capítulo... me desculpem pelo transtorno. mais tarde eu posto ;)

24/04/2014

Capítulo 32

não tive tempo de revisar' :( estou com uma puta dor de cabeça e a tela do meu pc parece um canhão de neon branco o.O que esta me deixando cega! boa leitura xx


          Joe subiu os degraus da escada cuidadosamente com Demi em seus braços, ela sorria e balançava seus pés. — Eu estou me sentindo muito importante, sabia?
— Depois daquele seu quase tombo eu quero garantir que você vai pra cama inteira.
— Também não precisa exagerar. - Demi fez bico.
— Madame, eu agradeceria se você parasse de balançar esse seus lindos pés.
— Desculpe-me, eu paro sim... já até parei.
— Obrigado.

— Eu estou pesada?
— Não, você não esta' são os meus braços que estão doendo, o.k?
— O.k. - Demi suspirou e Joseph a colocou na cama. Se afastando para fechar a porta ele a trancou, retirou seu casaco e o pendurou perto da porta.
— Demetria, se você vai começar aquela coisa em relação ao seu corpo... já pode parar!
— Eu não estou começando nada.
— Esta sim, eu te conheço' sei o que se passa dentro dessa sua cabeça. Pare, agora!

— O que você vê em mim?
— O que falta em mim. - Demi abriu a boca para dizer alguma coisa, mas desistiu — Consegui deixar você sem palavras? - Ela assentiu — Ótimo, era essa a intenção.
— Filho da mãe!
— Eu odeio quando você fala sobre si mesma de forma insatisfeita, você é perfeita! Não tem mais o que dizer sobre isso, se você quiser eu digo o quanto você é gostosa pro resto de nossas vidas. Esta bom assim?
— Se você fizesse isso... eu ficaria envergonhada pro resto de nossas vidas.
— Falou a garotinha inocente. - Joe piscou para ela e sorriu de forma safada.
— Não me olhe assim, eu sinto vergonha... PARE!
— Tudo bem, não grite. - Ele jogou as mãos ao alto e riu em seguida — Posso pelo menos tirar seus sapatos?
— Sim, você pode tirar meus sapatos. - Demi piscou um pouco e esticou a perna. Joe caminhou até ela e se sentou na cama. Antes que ele pudesse se mover o celular vibrou em seu bolso, era Zac.


"É o incrivel o que podemos descobrir com um simples esbarrão..." 

— Quem é, amor?
— Demi, querida... me permite uma pergunta?
— Sim, pode perguntar o que quiser.
— Encontrou alguém dos velhos tempos? - Joe desamarrou um de seus coturnos.
— Oh, encontrei sim' acho que esqueci de comentar, eu vi o Alex.

— Quem é esse? - Demi respirou fundo e se sentou — Tem algo que você queira me contar? - Ele mostrou a foto no celular.
— Como essa foto veio parar ai? É da época do orkut... céus! - Joe deu de ombros — Eu posso explicar.
— Tudo bem, explique.
— Eu e Alex namoramos, não foi uma coisa séria' sinto muito por não ter te contado antes.
— Demi, você sabe que isso põe muito em jogo' não sabe?
— O QUE ESTA QUERENDO DIZER COM ISSO? - Demi se alterou.
— Você quem mentiu pra mim, acho bom ir baixando esse tom comigo!

— Por favor, não fique zangado comigo.
— Eu não estou zangado, porra!
— Esta assim.
— Diga o que aconteceu entre vocês, por favor.
— Não chegou a acontecer nada.
— E essa foto? Você parece estar sem roupas aqui.
— Eu... estava.
— COMO É?
— Eu achei que ele era especial.

— Você disse que eu fui seu primeiro beijo, seu primeiro homem... Eu não estou entendendo mais nada.
— Você foi o meu primeiro beijo "pra valer", meu primeiro homem... Eu me apaixonei por você assim que eu o vi! Com ele não foi assim, eu achava que sentia algo e não era bem assim, tanto que nada deu certo.  Foi errado não ter te contado antes, desculpe-me' mas a verdade é que... eu nem me lembrava mais disso, aconteceu tantas coisas e foi depois disso que eu conheci você. Que droga! Eu agi por impulso nessa época, mas depois compreendi o que é realmente amar alguém... Você colocou meu amor em primeiro lugar, demorou... mas aconteceu. Não duvide de mim, porra! Joe, você é meu homem, meu marido, o pai dos meus filhos' nada mais importa pra mim além disso.
— Respire e mantenha a calma. - Joe sorriu fraco sentindo uma lágrima escorrer por sua bochecha, Demi já chorava fazia algum tempinho — Esta tudo bem' olhe só... não ligue pro que eu disse, eu fui um completo idiota. - Demi apenas assentiu.

— Podemos esquecer que isso aconteceu?
— Podemos, venha aqui. - Joe a puxou para seu colo — Eu sinto muito, amor... de verdade.
— Eu sei, eu sei... - Demi beijou seus lábios.
— Eu me sinto muito envergonhado agora.
— Superei você, certo? - Ela sorriu fraco e Joe depositou alguns beijos em seu pescoço.
— Ainda estou me sentindo culpado.
— Não se sinta, estamos colocando as cartas na mesa' foi bom isso acontecer.

— Eu fiz você chorar, isso dói.
— Então, você esta esperando o que para me fazer sorrir? - Joe balançou a cabeça e sorriu.
— Você vai descobrir e não vai demorar muito, eu prometo. - Ele sussurrou ao é de seu ouvido e Demi ficou arrepiada.
— Joseph, o que você esta aprontando?
— Vai ter de esperar alguns dias para descobrir. - Ele inalou seu perfume e novamente Demi ficou arrepiada — Eu vou compensar você, não tenha duvidas quanto a isso.

**

oh, oooooh' problema, problema... > estou viciada em  "Canal OK!OK!"
oi, oi' eu estou entrando em depre novamente, maaaaaaaas esse capítulo fodeu comigo' era para estar maior... MUITO MAIOR. mas aconteceu aquele probleminha de rotina e eu precisei reescrever o bendito e saiu assim u.u gostaram? foi uma declaração intensa da demi' eu escrevi ao som de beyoncé < essa musica é linda e o clipe é mais perfeito ainda. <3 queen b' AMO FORTE. hoje eu respondi os comentários. aqui, aqui, aqui e aqui tbm. enfim, por hoje é só... os próximos capítulos prometem fortes emoções. já disse que esta acabando? :( 

 

22/04/2014

Capítulo 31


          Demi estava pronta e agora finalizava sua maquiagem em frente ao espelho. Joe passou pelo corredor e viu a esposa destraida ajeitando agora seus cabelos, ele adentrou no quarto devagar e a abraçou por trás fazendo-a soltar um gritinho de panico. — Seu filho da mãe, você me assustou.
— Desculpe-me, eu só vim dizer o quanto você esta linda. 
— Tem certeza de que esta bom? Eu provei centenas de roupas e acho que a anterior estava melhor.
— Esta na medida certa, não se preocupe.
— Obrigado, eu podia jurar que você ia dizer que esta curto e vulgar.
— Eu gosto quando você se veste de forma vulgar pra mim, mas só pra mim. - Demi riu.
— Você não perde a oportunidade, não é mesmo? 
— Não, nunca.

— UAU, mamãe. - Charlie deixou seu game cair no chão.
— Você gostou, bebê?
— Você esta uma gata' papai você vai mesmo deixar ela sair assim? Pense bem.
— Charlie, eu agradeço o elogio' mas seu pai não é meu dono para deixar, ou não eu sair assim.  
— Foi mal, eu só estou tentando proteger você. - Charlie fez careta.
— Oh, vem aqui. - Demi acariciou as bochechas do filho e sorriu — Eu é que sinto muito, não deveria ter dado uma resposta dessas para você. 
— Esta tudo bem, mamãe. - Charlie sorriu — Eu não consigo ficar chateado com você, sabia?
— Eu fico feliz por isso.
— Não sabia que você gostava de rock. 
— Agora você sabe. - Demi sorriu novamente. 

— Charlie, faz um favor pra mim?
— Sim, senhor.
— Vai lá ver se o Nathan esta pronto. - O garotinho assentiu e saiu correndo — Quer dizer então que eu não sou seu dono?
— Você sabe que eu sou sua, não sabe? Não tem necessidade de usar a palavra "dono" eu não sou uma propriedade. 
— Tudo bem, foi mal. - Joe coçou a cabeça.

— Vem aqui, deixe-me arrumar sua camisa. - Ele deu um passo a frente — Não preciso pedir que você tenha juizo, preciso?
— O que você quis dizer com isso?
— Cuidado com o que você vai beber.
— E eu achando que você estava se referindo as mulheres.
— Você é bem grandinho e sabe que não deve se meter com essas vadias, não sabe?
— É, eu sei.
— Eu seria capaz de matar você e ela.

— Ei, não precisa se preocupar... Eu já tenho tudo o que sempre quis bem aqui na minha frente. 
— Eu já pedi para você parar de falar assim, desse jeito eu vou acabar arrancando suas roupas. - Demi sussurrou um pouco envergonhada e Joe a beijou em seguida. Segurando suas coxas com as mãos, ele a pegou no colo e se sentou na cama. 
— Pode arrancar minhas roupas agora, se quiser. 

— Que safadeza é essa dona Demetria? - Naya riu enquanto os dois se separavam.
— Já ouviu falar em "bata antes de entrar"?
— A porta estava aberta, qualquer um que passasse veria essa demonstração inoscente de carinho.
— Tudo bem, Naya. Você venceu! - Demi jogou as mãos ao alto — Vamos. 
— Sim, sim. Foi isso que eu vim avisar, Ariana esta pronta e Kathleen esta euforica.
— Onde vocês vão?
— Ótima tentativa, Jonas. - Naya sorriu — É surpresa e não vale contar, para evitar brigas. 
— Oh, isso é realmente muito bom.

— Joseph, vamos? Nathan nem quer tirar o pé do lugar, vamos logo antes que ele desista.
— Vamos.
— Espera um pouco, quem vai ficar com o Charlie?
— Denise e Carter, quem mais?
— Outra coisa, com quem o Wilmer vai?
— Conosco, isso esta tão óbvio. - Naya revirou os olhos.

— Bora barrangada! - Wilmer soltou um gritinho euforico — Eu adoro esses boys suados do campo. 
— Como se alguém daqui fosse te querer. - Zac murmurrou irritado.
— Ui, alguém esta com ciumes de mim.
— Esta me confundindo, meu xapa? O meu negocio é mulher!
— Eu sei muito bem o que você andou comendo e não foi mulher.
— Eu vou matar esse cara!
— Ei, ei... nada de briga aqui! - Demi se enfiou no meio dos dois — Vamos. 
— Vamos, vamos... esse quarto já tem gente até demais. - Joe resmungou.

Algumas Horas Depois
Club For Women

          Todas estavam dançando e se divertindo com algum cara, menos Demi. Por mais que tentasse ela simplesmente não conseguia! A imagem de Joe sempre vinha em sua cabeça.  Aquele ambiente parecia estar ultrapassado para alguém de sua idade e sua cabeça estava doendo. — Oi, meu amor. - Wilmer abraçou Demi de lado — Tudo bem?
— Eu não sei, não consigo me divertir.
— Joseph, não é mesmo?
— Nunca saimos separados, entende? Eu não estou me sentindo muito bem aqui.
— Vem dançar comigo, te garanto que não tem perigo.
— Muito obrigado, mas eu acho que vou embora.
— Demi, Demi... ele esta se divertindo e você esta ai "não me toque".
— Como você pode ter certeza?
— Demi, Demetria... você não vai acreditar no que eu achei. - Naya respirou fundo.
— O que você achou?
— É o Joe, olha. - Ela tomou o celular da mão da amiga e encarrou a foto a sua frente — Quem é essa baranga oxigenada agarrada ao seu homem? 
— Chelsea, ela era minha inimiga no colegial... mulherzinha despresivel! - Wilmer arregalou levemente os olhos — Eu odeio ela.

— Xi, isso é problema. 
— Wilmer, por favor' não coloque minhocas na cabeça dela. 
— Ai, eu não posso evitar. Eu simplesmente A-D-O-R-O um barraco!
— Quem disse que vai ter barraco? Eu sou uma mulher adulta e sei muito bem me conter?.
— Isso é uma perguntou, ou afirmação?
— Eu não sei, mas vou embora. 
— Por que? Se ele pode se divertir com uma piranhuda você também pode se divertir com algum gostoso aqui, vai me dizer que não conhece nenhum desses caras?
— Talvez um, dois... 

— DEMETRIA? - Um dos caras sorriu largamente para ela' a poucos metros de distancia era impossivel não reconhecer aquele sorriso.
— Eu preciso mesmo ir embora. - Demi se levantou e começou a sair se enfiando em meio as mulheres. 
— Quem é aquele cara?
— Um ex-namoradinho meu.  
— Ele é muito gostoso. - Naya a puxou pelo braço — Que porra, para de agir assim! Parece até uma adolescente.
— Naya, aquele cara... ele foi meu primeiro namorado, entende isso? Nos quase transamos, mas os pais dele chegaram bem na hora e depois disso eu fiquei com tanta vergonha que nem olhei mais na cara dele. - Demi riu — Foi muito constrangedor e Joe nem sonha que ele existe, mas Denise sabe. Se ele ver alguma foto minha com ele... ela pode comentar e se ela comentar... O bicho pega! Joe tem um ódio mortal por qualquer criatura do "sexo masculino" que tenha me tocado antes dele, entende? Eu estou meio bebada, louca e preciso ir embora... AGORA.

— Ei, Demi... quanto tempo?
— Muito, muito tempo... Se você não se importa eu preciso ir, foi bom te ver de novo. - Ela sorriu rapidamente e saiu. 

Men's Club

          Joseph bebericou sua bebida e jogou um olhar mortal para Zac. — Eu odeio você, sabia?
— Foi só para registrar esse momento, qual é? Ela era sua amiga de infancia.
— Que virou striper' existe uma grande diferença.
— Errou feio, uma ENORME diferença.
— Nathan, você é meu filho e não esta ajudando em nada.
— Eu juro que não conto nada, eu juro! 
— Não é essa a questão.

— E que porra de questão é essa?
— Você postou a foto e a Naya ainda curtiu! Acha mesmo que ela não mostrou?
— Isso é verdade. - Zac coçou o queixo e olhou para Joe — Cara, não me olha assim... bateu um peso na consciencia.
— É para você sentir o peso mesmo!
— Demi sabia muito bem que ia rolar mulher aqui... Ela é adulta, entende essas coisas.
— Chelsea não é qualquer mulher, elas eram inimigas! Mulher leva essas coisas em conta e muito. 

— Relaxa.
— Eu não quero relaxar, eu vou embora.
— Pai, espera... curte um pouco mais.
— Aproveitem vocês, eu realmente preciso ir embora.

(...)

          Toda a casa estava escura, isso significava que todos dormiam. Demi começou a procurar sua chave enquanto caminhava até a varanda, mas não achou. Parada em frente a porta ela abriu mais a bolsa e enfiou sua mão. Quando finalmente achou, alguém a abraçou por trás lhe dando um enorme susto. — Mãos ao alto.
— Você ainda me mata um dia, sabia? - Ela riu — Eu tenho quase 40 anos, não aguento mais o tranco.
— Aguenta sim, nós dois sabemos muito bem disso... - Ele beijou o pescoço da esposa — Posso saber o que faz de volta tão cedo? - Joe ficou de frente com ela.
— Eu estou um pouco bebada e você?
— Senti saudades. - Joe fez biquinho.

— Mentira. - Demi riu histericamente — Eu vi você com a Chelsea, como ela esta?
— Demetria, eu juro que posso explicar. - Ele disse num tom preocupado.
— Desculpe-me, eu não deveria... Foi infantil da minha parte, eu disse que estou um pouco bebada. - Joe assentiu e Demi sorriu — Você ficou com medo da minha reação?
— Eu não sei se seria capaz de superar um "chute" seu, então estou fazendo por onde não ganhar um.
— É por isso que eu te amo. - Ela sorriu.
— Hm... eu também amo você' agora me dá meu beijo. 
— E quem disse que tem beijo? - Demi arqueou uma sobrancelha e Joe armou uma carranca — Tudo bem, pidão! 
— Eu sempre preciso de você... sempre.

**

eu estou recuperada' ALELUIA!
OLÁ PARANGELS, COMO VCS ESTÃO??? eu estou bem' só para constar. 
só não respondi os comentários pq estava fazendo trabalhos escolares, sem contar que eu passei a tarde toda estudando para prova e blá, blá, blá' sobre o capítulo... eu vou tentar dar mais detalhes sobre o alex' foi revelador, não é mesmo? chelsea... alex gostoso... < ainda custo a acreditar que aquele cara é gay. sim, para quem não sabia... ele é' pelo menos foi o que me disseram. hj é o primeiro show da TNLT e eu não vou :( #EntrandoEmDepressão mas um dia eu ainda vou... um dia... pois é' alguém ai para chorar comigo? enfim' o que acharam do capítulo? eu gostei... principalmente a ultima parte' foi tão barro kkkkkkk só suspiros e outra coisa... esta acabando :'( NÃOOOOOOO! (sim, esta acabando u.u) broken my heart' agora eu vou nessa, tem aula hoje... beijooooos. 

sheezuiiiiiiiiiiis' o.o