Eu nunca pensei que esse dia fosse chegar, mas ele chegou e sinto que preciso fazer isso. Não foi uma decisão fácil, fiquei tentando adiar o máximo possível, mas infelizmente não consegui. Começo pedindo desculpas por fazer isso sem aviso prévio, não era minha intenção, mas simplesmente não consigo! O bloqueio não vai embora e não é um bloqueio qualquer, estou passando por alguns problemas e estou em conflito comigo mesma. Sou uma garota de 19 anos e não faço ideia do que fazer da minha vida, nada acontece e por mais que eu tente, sempre acaba do mesmo jeito. No meio disso tudo surgem as cobranças das pessoas e por mais que elas tentem disfarçar, estão dizendo: "Garota, faça alguma coisa da sua vida!" Eu também me cobro, estou cansada de sentir como se estivesse fadada ao fracasso. Cansada de pensar na minha vida e sentir que tudo é uma grande conspiração para que eu quebre minha cara de novo e de novo. Cansada de decepcionar as pessoas! Eu não posso e nem quero decepcionar ninguém, por isso estou me afastando. Não quero que pensem que não me importo, eu me importo, mas não estou conseguindo escrever e eu amo fazer isso, amo mais do que qualquer outra coisa no mundo! Não quero fazer nada de qualquer jeito, nada menos do que perfeito, vocês merecem algo realmente bom. Quero que saibam que não é um hiatus permanente, vou tirar esse tempinho para estudar e correr atrás de algo para o futuro. Voltarei assim que for capaz de escrever algo novamente, quando sentir que esse fardo está menos pesado e... Acho que é isso, me desejem sorte! Amo muito vocês e arrisco dizer que já sinto saudade. Com amor, Jéssie.

02/03/2014

Capítulo 13

 

          Nathan abriu a porta e cedeu espaço para Demi entrar. — Obrigado filho.
— De nada. -Ele sorriu. — Não repare na bagunça. -Demi riu e retirou seu casaco o pendurando perto da porta.
— Ariana, chegamos! -Nathan disse alto enquanto puxava as malas para dentro. Ariana desceu as escadas com a filha no colo e sorriu largamente ao ver Demi bem de perto.

— Oh meu Deus! -Ambas exclamaram. Demi se aproximou para abraça-la, Chloe resmungou algo sem sentido sentindo-se espremida entre as duas.
— Desculpe-me. -Demi beijou a testa da neta e sorriu. — Ela esta tão grande! Posso segura-la?
— Claro. -Ariana entregou Chloe. A garotinha encostou a cabecinha no ombro de Demi e com uma das mãozinhas segurou seu cabelo.
— Onde esta o Sr. Jonas e o Charlie? Estou morrendo de saudades deles.
— Eles ficaram.
— Por que?

— Querida, você poderia me ajudar com as malas? -Nathan olhou fixamente para ela.
— Claro. -Ela se virou para Demi. -Eu já volto, fique a vontade.
— O.k. -Demi assentiu e se encaminhou até a sala.

          Nathan subiu com as malas com a ajuda de Ariana, eles adentraram no quarto de hospedes e por fim trancaram a porta. — O que foi aquilo? Você quase me matou com os olhos.
— Não fale do meu pai, minha mãe e ele não estão indo bem.
— O que houve dessa vez?
— Uma longa história. Ela veio para pensar na melhor saída para essa loucura toda, eu tenho medo do que pode acontecer com a nossa família. -Ariana se aproximou dele. 

— Ei, não fique assim. -Ela o beijou calmamente. — Vai ficar tudo bem, seu pai não vai ficar de braços cruzados.
— Você quer dizer que... -Ariana interrompeu.
— Isso mesmo, ele deve ter algum plano para reconquista-la.
— É uma opção, isso não muda nada.
— É uma certeza. -Ariana sorriu. — Vou fazer o o que for preciso para que ela pense bem, o k?
— Obrigado, eu não sei o que faria sem você. -Nathan sorriu. — Eu te amo.
— Eu também te amo. -Ariana lhe deu um selinho e Nathan fez careta. — O que você quer agora eu não posso dar, não com a sua mãe na sala esperando. -Ela corou. 

— Eu tiro ela de casa.
— Nathan!
— Foi brincadeira, vamos. -Ela abriu a porta.
— Acho bom. -Ariana passou por ele.
— De noite você não me escapa. -Nathan lhe deu um tapa no traseiro e a abraçou por trás.
— NATHAN!

— Crianças esta tudo bem ai em cima?
— Sim, estamos descendo. -Ariana respondeu nervosa e estapeou Nathan.
— AI! -Ele fez careta e seguiu Ariana que estava toda envergonhada. Demi riu da expressão que ambos sustentavam no rosto.

(...)

          Joe abriu a porta e sorriu para Danielle que segurava a mão de Charlie. — Bom dia. 
— Bom dia, tudo bem?
— Tudo ótimo e com você?
— Eu estou bem.
— Charlie se comportou?
— Sim, ele é um bom menino. -Danielle se voltou para Charlie e sorriu, mas ele continuou de cabeça baixa.
— Obrigado por tudo, você é muito gentil.
— Sempre que precisar pode manda-lo para casa, Sophie adora brincar com ele. -Danielle sorriu. — Até mais tarde. Tenham um bom dia. 
— Para você também. 
— Tchau Charlie.
— Tchau tia. -Danielle sorriu e se foi.

— Algum problema filho?
— Nada. -Ele suspirou. — Apenas saudades da minha mãe. 
— Podemos falar com ela mais tarde, o que acha? -Joe fechou a porta e sorriu para ele.
— Tudo bem. -Charlie subiu as escadas entristecido. Joe ficou ali parado olhando para as escadas se sentindo um completo idiota! Ele precisava fazer alguma coisa, mas o que?

— CHARLIE!
— O que foi?
— O que acha de irmos até a casa da vovó? -O garoto sorriu largamente.
— Acho uma ótima ideia! -Ele desceu rapidamente e pegou o casaco. Joe riu e balançou a cabeça pegando as chaves do carro.

(...)

12h00

          Denise conversava animadamente com um homem na varanda de sua casa quando Joe estacionou o carro em frente a casa. Charlie saltou do carro e atravessou a rua correndo. — VOVÓ! -Denise sorriu e pegou o garoto no colo. 
— Céus, como você esta grande! -Ela beijou o rosto do garoto.
— Quem é ele vovó?
— Carter, o amigo da vovó.

— Olá amigo da vovó que se chama Carter, eu sou o Charlie. -Carter riu.
— Olá neto da Denise que se chama Charlie, é um prazer conhece-lo. -Denise e Charlie riram. — Aquele é seu filho?
— Sim. -Denise observou Joe fechar a porta do carro com força.

— Ele não esta bem. -Charlie comentou. — Digo, ele e minha mãe. Ele só não sabe que eu sei disso.
— Sendo assim eu vou indo, jantar hoje na minha casa?
— Am... -Denise olhou para Charlie que tinha um sorrisinho indecifrável nos lábios. — Sim, sim... claro. 

— Olha se você quiser namorar a minha vó por mim esta tudo bem, mas o grandão ali que é o problema. -Charlie apontou o pai que trocava cumprimentos com uma senhora.
— Charlie! -Denise repreendeu. 
— Sério! Ele é muito ciumento e protetor. Sabia que ele quase bateu nos grandões da escola por causa das cantadas idiotas que eles jogavam na minha mamãe?! Ele é ciumento ao extremo, concelho de criança. -Carter riu.
— Obrigado pelo concelho.
— Carter!
— Querida, vejo você mais tarde. -Carter se despediu dela com um beijo na testa. Joe em questão de segundos estava de frente com os dois.

— Boa tarde. -Joe olhou pros dois.
— Boa tarde filho, que surpresa agradável. -Denise beijou a bochecha de Joe.
— Estava com saudades de você. -Joe sorriu e se voltou para Carter. — Quem é ele?
— Joseph, onde estão seus modos?
— Foi mal, desculpe-me. Quem é o Senhor?
— É o namorado da vovó. -Joe arregalou os olhos.
— NAMORADO?

— Joseph ele é meu amigo... Amigo!
— Eu me chamo Carter e já estou atrasado. -Carter disse sem graça.
— É um prazer conhece-lo, até mais ver. -Joe forçou um sorriso e Carter se foi. — Não gostei disso.
— Você não tem que gostar. -Denise colocou Charlie no chão e abriu a porta.

— Ele é seu namorado?
— Não.
— Ainda, não é mesmo?
— Ele só esta tentando ser gentil e eu não me lembro de ter pedido sua opinião sobre arrumar, ou não, um namorado.
— Tudo bem, não esta aqui quem falou. -Joe levantou as mãos.

— O que veio fazer aqui? -Ela riu.
— Comer torta! -Charlie disse animadamente. -Acabei de tirar uma do forno.
— Jura?
— Sim, pode ir pegar.
— É por isso que eu te amo vovó! -Charlie correu para a cozinha.
— Também te amo. -Denise riu.

— Eu preciso muito de ajuda e como a senhora acredita numa força maior... -Denise interrompeu.
— Acho que eu entendi, sente-se e me diga o que esta acontecendo. -Joe se sentou.
— Eu fui um idiota e agora Demi esta pensando em me deixar.
— Não queria te dizer isso, mas preciso dizer um grande e belo... "Eu avisei que isso aconteceria". Não é mesmo?

— Eu só não sei o que fazer.
— Já se afastou do trabalho?
— Juro que vou fazer isso.
— O.k, eu estou pensando em algo... Quanto tempo tem até seu vigésimo quarto aniversário de casamento?
— Um mês e algum dias, mas...

— Essa é sua chance!
— Minha chance?
— Sim, sua chance de fazer algo memorável! -Joe parou por alguns segundos e sorriu.
— Acho que tive uma ideia.

desculpe pela demora, até o próximo'

19 comentários:

  1. jéssieeee ♡♡
    que capitulo perfeito, mano. sério mesmo, sua fic é tão incrivel. Eu ainda continuo apaixonada pelo Charlie e pa, porque sabe, ele é meu bebêzinho ♡
    Você precisa postar logo mulher, se não acho que vou ter um piripaque aqui e vou jogar a culpa pra cima de você, viu? haha. '
    Poste quando der, divona ♡
    Beijãos, :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. já disse que seu nome tá foda? acho que sim *-* porém não custa nada dizer de novo' o charlie é um sonho de criança... se eu achar ele por ai eu roubo pra mim kkkkk i'm criminal. eu é que estou ao ponto de ter um piripaque com a sua fanfic kkkkkkkkkkkkkkk vc que precisa postar logo mulher!!! (nem tirei o meu da reta agora, não é mesmo?) brincadeira hehehe eu vou postar :)

      Excluir
  2. Ai meu Deus o Charlie é muito fofo!! O garoto esperto rsrs
    O cap está perfeito!! Estou amando a fic!!! Parabéns!!! E tomara que essa ideia do Joe seja realmente mto boa!!! Estou super curiosa!!! Bju!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ele ainda vai surpreender muita gente O.O
      obrigado... a ideia do joe será fodidamente boa, até pq é uma readaptação de uma obra do NICHOLAS SPARKS <3

      Excluir
  3. Ficou fofo, o Charlie não perde uma não é mesmo? Amei quero mais :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não perde e nem vai perder kkkkkkkk'

      Excluir
  4. Que capítulo maravilhoso
    To adorando tudooo <3
    Posta logo
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. i adoooore yoooouuuu'
      i <3 miley
      fico fodidamente feliz de saber que você esta gostando' eeeh coloquei um fodidamente ali para variar kkkkkk

      Excluir
  5. Mds, tá muuuito fto o capítulo
    E retiro o que disse: Eu não quero adotar o Charlie... EU PRECISO ADOTAR O CHARLIE
    Ele é muito inteligente pra idade dele hein
    E o seu mano awwwww é tão fofo :3
    Eu tava lendo o capítulo aqui e enquanto isso fui ver um insta que eu tinha feito pra Demi (ddlovato_photos) e adivinha?! Tenho 107 seguidores!!! Semana passada eu tinha 7, então imagina!!! Eu tô mt feliz :)))))
    E eu não tenho mais nada pra falar né purple folower :)
    Posta Logo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. já falei que o charlie é meu! kkkk
      eu tenho um instagram de frases do blog, mas ainda esta privado :( preciso ler todas as minhas fanifcs desde o inicio para poder postar as minhas melhores frases' sério, eu tenho umas frases aqui muito boas *-* o mundo precisa saber muahahahaha. é isso ai, ganhando seguidores... eu vou seguir aqui tbm... momento... segui de volta, o.k? estou tentando chegar aos 400 seguidores, mas esta dificil kkkkkkkkkk eu surto toda vez que vejo esse purple <3 *-*

      Excluir
  6. perfeitoooooo *-*
    #xonei
    é muuuuuuuuuuuuuuucho perfeitooooo
    posta logo
    xoxo

    ResponderExcluir
  7. Sei que não to comentando mais a fic é perfeita, bom todas são assim como esse perfeito blog kk. Ja estou anciosa pra ler essa, se me lembro do filme hehe essa fic promete!

    Ah antes que eu me esqueça, Jessie qual é o programa que você usa pra editar os seus videos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz que vc tenha gostado :) eu uso o windows movie maker e para deixar em HD o formact factory, ou algo do tipo....

      Excluir
  8. OMG...PERFEITOOO
    "Charlie preucupado com os pais,
    Nathan dando liçao de moral em joe"
    Que filhos... <3
    você ama fazer suspense né jessie.
    #Anciosa
    Posta logo :)
    Bjss :*

    ResponderExcluir